Casamento Real

A neta de Isabel II já casou. As fotografias de uma cerimónia real

892

Eugenie subiu ao altar num elegante vestido de noiva, de cauda comprida e cintura marcada. Os noivos trocaram sorrisos entre si e Andrea Bocelli cantou duas vezes. Veja as fotos da cerimónia.

Os sinos tocaram em Windsor, Inglaterra. A princesa Eugenie casou-se esta sexta-feira, dia 12 de outubro, com o namorado de longa data, Jack Brooksbank. A família real britânica esteve em peso na cerimónia, que assinalou o muito aguardado regresso de Sarah Ferguson, mãe da noiva e ex-mulher do príncipe André. Estrelas de Hollywood, da moda e da música não quiseram faltar e ajudaram a compor a lista de mais de 800 convidados.

O casamento ficou marcado pelo forte vento que atrapalhou, de certa forma, a chegada dos convidados e proporcionou momentos insólitos. Além de acontecer a um dia de semana, sexta-feira, coisa pouco comum, a cerimónia surpreendeu pela lista de presença de ilustres celebridades. Se por um lado Victoria e David Beckham não compareceram para estranheza de alguns, por outro, Naomi Campbell, Demi Moore e Liv Tyler deram o ar de sua graça.

Do lado da família real britânica não faltou ninguém, além de Camilla, mulher do príncipe Carlos, cuja ausência já era esperada. Até o duque de Edimburgo se fez notar à chegada à capela, ele que, segundo consta, cortou relações com Sarah Fergunson à data do divórcio desta com o príncipe André. De facto, esta sexta-feira marcou o regresso de Fergie, como é conhecida a mãe da noiva, que no passado protagonizou diversos escândalos. Talvez por estar afastada da família real britânica, a duquesa de Iorque mostrou-se diante dos fotógrafos e do povo que “acampou” nas ruas de Windsor com um visual irrepreensível.

Já no interior da capela, o tenor italiano Andrea Bocelli cantou duas vezes e foram várias as referências à obra O Grande Gatsby, do americano F. Scott Fitzgerald, aparentemente escolhidas pela própria noiva, que na faculdade estudou Literatura, Política e História de Arte.

A cerimónia durou uma hora, tal como o previsto. Beatrice, a irmã mais velha da noiva e dama de honor, fez uma leitura e os príncipes George e Charlotte, filhos de William e de Kate, desempenharam na perfeição os papéis de pajem e de menina das flores, respetivamente. A somar a tudo isso, foram vários os momentos em que os noivos foram apanhados a sorrir, ainda que ele se mostrasse bem mais nervoso do que ela. Finda a cerimónia, Eugenie e Jack participaram num pequeno cortejo, com apenas um quilómetro de distância, a bordo de uma carruagem, à imagem e semelhança do que aconteceu no casamento de Harry com Meghan Markle.

Estas são as fotografias do segundo casamento real do ano.

[Veja no vídeo como o vento atrapalhou os convidados do casamento real]

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Crónica

Na Caverna da Urgência

António Bento

A principal queixa do homem contemporâneo é a de uma permanente e estrutural sensação de «falta de tempo». Há uma generalização da urgência a todos os domínios da experiência e da existência moderna.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)