O português Tiago Craveiro, diretor-geral da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), vai ser um dos dirigentes desportivos que vai integrar o grupo de trabalho que a FIFA criou juntamente com a UEFA para explorar a viabilidade de grandes competições que realiza, como o Mundial de Clubes e a Liga das Nações.

Segundo o Financial Times, o grupo terá, além do líder da FIFA, liderada por Gianni Infantino, também Giorgio Marchetti, diretor de competições da UEFA, Andrea Agnelli, presidente da Juventus e Richard Scudamore, diretor executivo da Premier League.

Segundo o jornal britânico, a FIFA estará em negociações com um consórcio de investidores internacionais liderado pelo SoftBank para um fundo financeiro de 25 mil milhões de euros com o objetivo de expandir o Mundial de Clubes de oito para 24 equipas e para criar um novo torneio de nações entre os países.

A UEFA, no entanto, não está contente com a ideia e considera que o plano da FIFA constitui uma ameaça para o crescimento da Liga dos Campeões, a maior competição de clubes que só em direitos televisivos e patrocínios arranca 2,5 mil milhões de euros.

Alguns membros do conselho diretivo da FIFA falam ainda de falta de transparência na formação deste grupo.

De acordo com o mesmo jornal, a UEFA e o bilionário norte-americano Stephen Ross, dono da equipa de futebol americano Miami Dolphins, estarão em conversas para criar uma nova competição internacional de futebol.