“Uma claque que interessava ter na mão”. Seria este o objetivo de Bruno de Carvalho, segundo as declarações de Vítor Ferreira à TVI24, quando deu a ideia de atribuir 15 mil euros mensais à Juventude Leonina (Juve Leo) para cobrir as despesas da claque, durante o início do seu primeiro mandato como presidente dos leões, em 2013.

O antigo vice-presidente do Conselho Diretivo do Sporting e administrador da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) diz que que, na altura em que a proposta estava a ser decidida numa reunião, não concordou, por achar que a ideia era “inaceitável”, sugerindo que a ajuda às claques fosse feita “de uma forma legal e transparente, mediante faturas” que justificassem as despesas. Assim, a SAD pagaria diretamente à claque todo o tipo de objetos que fossem utilizados para o espetáculo nos jogos, como tintas ou tarjas.

“Não me acredito que uma claque precise de 15 mil euros para gastos”, rematou Vítor Ferreira, que se demitiu do cargo em 2015. Bruno de Carvalho, no entanto, não aceitou essa contra-proposta, insistindo na entrega do montante fixo para as despesas — sem necessitar de justificações.

Depois disso, Vítor Ferreira foi afastado dos assuntos relacionados com as claques, que passaram a ser geridos pelo então presidente do Sporting e por André Geraldes, antigo oficial de ligação aos adeptos. O antigo vice-presidente não garante, no entanto, que essa verba tenha sido efetivamente levada para a frente e acrescenta que, nessa altura, a situação financeira da SAD não era a melhor: “Não havia dinheiro para comprar papel de fotocópias”.

Conselho de Disciplina suspende e multa Bruno de Carvalho

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol anunciou, esta terça-feira, a suspensão de Bruno de Carvalho durante 30 dias e o pagamento de uma multa de 3.830 euros, por “declarações proferidas” no Facebook, “com repercussão na imprensa escrita desportiva”. Em causa estão as palavras dirigidas a António Salvador, presidente do Braga. “És um labrego, trolha e aldrabão”, escreveu Bruno de Carvalho a 27 de março.

A suspensão, no entanto, não terá efeitos práticos, tendo em conta que o antigo presidente do Sporting não se encontra em funções e está detido e indiciado por 56 crimes relacionados com o ataque à Academia, em Alcochete, sendo interrogado pelo juiz Carlos Delca na quarta-feira, no Tribunal do Barreiro, juntamente com Nuno Mendes (“Mustafá”), o líder da Juve Leo.