Cimeiras

Guerra comercial China/EUA domina cimeira do G20 na Argentina

A cimeira começa esta sexta-feira sob forte dispositivo de segurança e com uma agenda preenchida de reuniões, onde predomina a guerra comercial entre China e EUA, o conflito na Ucrânia e o Brexit.

Criado em 1999, o G20 é um fórum que reúne governos e bancos centrais das 20 maiores economias mundiais (19 países e a União Europeia)

Juan Ignacio Roncoroni/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A cimeira do G20 começa esta sexta-feira em Buenos Aires, sob forte dispositivo de segurança e com uma agenda preenchida de reuniões plenárias e bilaterais, onde predomina a guerra comercial entre China e EUA, o conflito na Ucrânia e o Brexit.

Um dos pontos de maior interesse e incógnita no encontro anual do G20, que decorre em Buenos Aires entre esta sexta-feira e sábado, é a forma como o Presidente dos EUA, Donald Trump, e o da China, Xi Jinping, se relacionarão, quando se reunirem a sós e quando na cimeira a 20 discutirem as relações comerciais a nível global.

Nos últimos dias, Donald Trump provocou uma escalada verbal na guerra comercial, ao anunciar que a atitude intransigente da China levaria os EUA a estenderem o âmbito do incremento de taxas alfandegárias sobre os produtos chineses.

O governo de Pequim reagiu de imediato, anunciando aumentos tarifários sobre produtos oriundos dos EUA, mas também dos países aliados dos norte-americanos. “Estou preparado para reunir com o Presidente chinês. Toda a vida me preparei para esse encontro”, afirmou na passada semana Donald Trump, a propósito da reunião bilateral em Buenos Aires.

Quinta-feira, minutos antes de voar para Buenos Aires, Trump foi ainda mais ambíguo sobre os resultados desse encontro: “Estamos muito perto de fechar alguma coisa com a China, mas não sei se quero fazê-lo. A China quer um acordo. Mas gosto do acordo que já temos”, disse Trump aos jornalistas nos jardins da Casa Branca.

Nessa mesma ocasião, Trump ainda admitiu que outra reunião importante em Buenos Aires seria com o Presidente russo, Vladimir Putin. Mas, minutos depois, já dentro do avião presidencial Air Force One, Trump pegou no telemóvel e tweetou que cancelava esse encontro, por considerar que os incidentes de domingo no estreito de Kerch, após o apresamento pelos russos de três navios ucranianos, tornavam a reunião bilateral inconveniente para todas as partes.

Ainda assim, o conflito entre a Rússia e a Ucrânia será um dos pontos quentes da cimeira, com vários dirigentes a procurarem perceber a posição russa, depois de a Ucrânia já ter pedido reforço militar da Nato na região.

Buenos Aires será o palco do primeiro encontro entre a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, desde o ataque em Salisbury com agentes químicos que matou Dawn Sturgess, provocando um incidente diplomático com repercussões em todo o mundo.

Na cimeira, muitos olhares se dirigirão ainda para Mohammed bin Salman, herdeiro da coroa da Arábia Saudita, suspeito de autoria moral do assassínio do jornalista Jamal Khashoggi, cuja investigação ainda decorre. O caso perturba a diplomacia mundial e quinta-feira o Canadá juntou-se aos EUA e Alemanha na decisão de colocar sanções sobre elementos ligados ao governo saudita suspeitos de envolvimento do jornalista.

Para já, estão marcadas duas reuniões bilaterais sobre este tema com Mohammed bin Salman, uma com o Presidente Putin e outra com o Presidente francês, Emmanuel Macron. “Eu fui sempre muito claro sobre o tema da Arábia Saudita e inevitavelmente terei a oportunidade de o discutir com o príncipe saudita, à margem da cimeira”, disse aos jornalistas Macron, na quinta-feira.

A cimeira vai decorrer debaixo de um forte dispositivo de segurança, depois de vários grupos de ativistas da Argentina e internacionais terem anunciado que se preparam para realizar protestos junto das instalações do encontro.

Criado em 1999, o G20 é um fórum que reúne governos e bancos centrais das 20 maiores economias mundiais (19 países e a União Europeia). Coletivamente, as economias do G20 representam cerca de 85% da riqueza mundial. O G20 não tem um pessoal permanente e a sua liderança é rotativa, anualmente, entre nações dividas por grupos regionais.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)