Prisões

Primeiro dia de greve dos guardas prisionais com adesão a rondar 80%

A greve nacional que se prolonga até terça-feira foi marcada em protesto contra o novo horário de trabalho e o atraso no descongelamento dos escalões, entre outras reivindicações.

O universo de guardas prisionais ronda os 4350 para uma população prisional perto dos 13 mil reclusos

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A adesão dos guardas prisionais à greve nacional, que se iniciou este sábado e se prolonga até terça-feira, foi de cerca de 80%, segundo dados do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), que convocou o protesto.

A greve, iniciada às 00h00 deste sábado, afetou os três turnos de serviço dos guardas prisionais (00h00 às 08h00, 08h00 às 16h00 e 16h00 às 24h00) em diversas prisões, tendo atingido uma adesão máxima (100%) no Estabelecimento Prisional (EP) de Guimarães, EP de Angra do Heroísmo (Açores) e EP da PJ Porto.

EP Braga (adesão de 94,70%), EP Caxias (94,80%), EP Covilhã (95,50%), EP Faro (91%), EP Guarda (98%), EP Leiria para reclusos jovens (97,50%), EP Lisboa (98,80%), EP Montijo (92,80%), EP Paços de Ferreira (98,20%), EP Sintra (91,30%), EP Santa Cruz do Bispo/masculinos (91,10%), EP Torres Novas (93,30%), EP Vale de Judeus (94%) e EP Viana do Castelo (94,70%) foram cadeias que registaram uma adesão superior a 89%, indicam dados do sindicato. As adesões mais baixas ocorreram nos Estabelecimentos Prisionais de Ponta Delgada (34,60%), Setúbal (40%) e Chaves (41,20%).

A greve foi marcada em protesto contra o novo horário de trabalho e o atraso no descongelamento dos escalões, entre outras reivindicações. Apesar de a greve abranger as 24 horas diárias em cada EP, durante este protesto os guardas prisionais comprometeram-se a assegurar as diligências relacionadas com a deslocação de reclusos aos hospitais e aos tribunais, quando isso for necessário.

Ao nível do funcionamento interno das cadeias, disse à Lusa na sexta-feira o presidente do SNCGP, Jorge Alves, a greve provocará o cancelamento do trabalho dos reclusos (com exceção do trabalho efetuado para empresas), pelo que, em alternativa, ficarão na cela ou no recreio durante esse horário. Alimentação e medicação dos reclusos, sendo necessidades básicas, são também asseguradas pelos guardas durante a greve de quatro dias, mas os reclusos terão eventualmente as duas visitas semanais, com a duração de uma hora, reduzidas a apenas uma visita semanal.

Além de contestar o horário de trabalho e a demora no descongelamento dos escalões, o sindicato reivindica o pagamento do suplemento de turno e a criação de categorias apropriadas, ou seja, de guarda-coordenador e chefe-coordenador. O universo de guardas prisionais ronda os 4350 para uma população prisional perto dos 13 mil reclusos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Justiça

Acabe-se com os tribunais administrativos, já!

João Luis Mota de Campos

Não é tolerável é manter em (des)funcionamento o actual sistema jurisdicional administrativo, que pode causar a alegria teórica de alguns mas é causador de um intenso prejuízo social e viola direitos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)