No Kauai Electric, tudo é sul-coreano, da tecnologia do automóvel à utilizada nas baterias. Porém, quando o modelo surgiu no mercado com a bateria de maior capacidade, com 64 kWh, anunciou 470 km segundo a norma WLTP (Worldwide Harmonised Light Vehicle Test Procedure), aquela que está actualmente em vigor na Europa e que é bastante mais exigente do que a que veio substituir, o antigo ciclo de medição de consumos e emissões NEDC.

Alvo de algumas pressões, a Hyundai vem agora a público assumir que a empresa a quem delegou a determinação do consumo eléctrico e, por tabela, da autonomia, foi demasiado optimista, obrigando a marca sul-coreana a rever os valores em baixa. Em vez dos anteriores 470 km, o Kauai Electric afinal percorre apenas 449 km.

O fabricante aproveitou para rever também a autonomia do Kauai com a bateria de menor capacidade, 39,2 kWh, que até aqui anunciava 300 km. Neste caso, a correcção foi de menor monta, tendo caído somente para 290 km.