A multinacional norte-americana Google anunciou esta segunda-feira que decidiu antecipar o encerramento da rede social Google+ para abril de 2019, depois de ter detetado nova falha de segurança que deixou exposta informação pessoal de 52,5 milhões de utilizadores.

“Com a descoberta deste novo erro de ‘software’, decidimos acelerar o encerramento do Google+ de agosto de 2019 para abril de 2019”, disse David Thacker, vice-presidente da gestão de produto da Google. Thacker referiu que já começaram a notificar os afetados pela falha, salientando que pretendem “garantir a proteção dos utilizadores”.

Os dados pessoais dos 52,5 milhões de internautas que foram expostos por erro, mesmo no caso de terem a conta configurada como privada, foram os nomes, endereços de ‘e-mail’, emprego e idade. Os dados permaneceram expostos entre 7 de novembro, data em que foi lançada uma atualização de ‘software’ responsável pela falha, e dia 13 do mesmo mês, dia em que a Google detetou o erro e o solucionou.

Este caso é semelhante ao que ocorreu em outubro, quando uma falha na rede social Google+ deixou expostos dados pessoais de cerca de meio milhão de contas, o que levou a empresa a decidir encerrar a rede social, que foi lançada em 2011.