O Sincerity Ace, um navio para transporte de veículos que viajava entre o Japão e os EUA, registou um incêndio a bordo e a tripulação fugiu como pôde, alguns saltando para a água fria do oceano Pacífico, para salvar a vida. Dentro da embarcação, entretanto à deriva, estão cerca de 3.500 automóveis da Nissan, que continuam a flutuar algures, a cerca de 2.000 milhas das ilhas do Havai.

O Sincerity Ace é um dos muitos barcos que cruzam os oceanos, especializados no transporte de veículos, muito similares pois aos que recolhem a produção de veículos destinados à exportação da Autoeuropa. Basicamente, trata-se de uma imensa garagem flutuante, com vários andares, capaz de transportar no porão milhares de automóveis. Mas o principal trunfo deste tipo de navios é aquilo que os especialistas denominam “roll in and roll out”, solução que facilita e acelera a carga e descarga dos veículos, uma vez que estes rodam pelos seus próprios meios para dentro da embarcação, para depois saírem da mesma forma.

O Sincerity Ace navegava com uma tripulação de 21 elementos, quando no último dia de 2018 registou um grande incêndio a bordo. Os tripulantes deram o barco como ingovernável e abandonaram-no. Dezasseis foram resgatados com vida, quatro encontrados no oceano inanimados e um continua desaparecido.

Para os clientes, isto significa que vão ter de esperar mais uns meses pelos seus automóveis. Para a Nissan, significa mais 3.500 carros vendidos, uma vez que a carga, se estiver danificada – e muitos dos veículos estarão –, está coberta pelo seguro do armador, sendo que a situação está mais negra para este e para a tripulação, que passou por uma tragédia inenarrável.