O destaque vai para o GT e-tron, cujo CEO da Audi já admitiu estar atrasado devido a alguns problemas com a plataforma PPE, que está a ser desenvolvida em conjunto com a Porsche. Mas isso não impede o modelo de ser extremamente atraente e elegante, bem como potente e rápido a recarregar a bateria. Além do GT e-tron, a Audi vai apresentar uma série de veículos, todos eles com bateria e ficha para ser recarregada.

O mais interessante é o Q4 e-tron, que ainda aparece como concept (surgirá em 2020, depois do I.D. Neo e do Seat el-Born), mas que rapidamente vai passar à produção em série. E em princípio sem atrasos, pois ao contrário do GT e-tron, que depende da plataforma PPE, o novo Q4 e-tron baseia-se na MEB, concebida pelos técnicos da VW. Estes, ao que tudo indica, terão feito um melhor trabalho na MEB do que os responsáveis pela PPE, uma vez que a base da VW resistiu ao confronto com o Tesla Model 3.

O certame da cidade suíça vai igualmente acolher uma notável colecção de motorizações híbridas plug-in, todas elas capazes de percorrer pelo menos 50 km/h em modo eléctrico. Referimo-nos aos Audi A6, A7 e A8, bem como ao Q5, além dos revistos A3 e A7. Isto coloca cada vez mais perto o objectivo anunciado pela marca alemã de vender um veículo eléctrico ou electrificado em cada três, em 2025.