Rádio Observador

PS

Mulher e irmão de ex-secretário de Estado da Defesa receberam nomeações do Governo

6.174

A mulher de Marcos Perestrello, Sara, é chefe de gabinete da Ministra da Cultura. O irmão, Miguel, é vogal da Movijovem por nomeação do ministro do Trabalho e Segurança Social.

Marcos Perestrello, deputado do PS e ex-secretário de Estado da Defesa.

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Tanto a mulher como o irmão do ex-Secretário de Estado da Defesa e deputado do Partido Socialista Marcos Perestrello desempenham cargos por nomeação governamental. A notícia foi avançada esta segunda-feira pela revista Visão, a que a Sábado deu seguimento. Segundo as publicações, desde novembro de 2018 que Sara Perestrello de Vasconcellos é chefe de gabinete da ministra da Cultura, Graça Fonseca. Antes, em janeiro de 2018, Miguel Perestrello de Vasconcelos fora nomeado pelo ministro do Trabalho e Segurança Social, António Vieira da Silva — em conjunto com o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo — como vogal da direção da Movijovem.

Sara Perestrello de Vasconcellos foi assessora ao secretário de Estado da Proteção Civil, quando Costa era Ministro da Administração Interna, no primeiro governo de José Sócrates. Foi ainda assessora de António Costa enquanto este cumpria funções como ministro da Justiça no segundo governo de António Guterres.

A mulher de Marcos Perestrello passou ainda pela Câmara Municipal de Lisboa, durante a presidência do atual primeiro-ministro, sendo depois nomeada diretora de Lojas e Espaços Cidadão, na Agência para a Modernização Administrativa, antes de se tornar chefe de gabinete de Graça Fonseca. Sara Perestrello de Vasconcellos licenciou-se em gestão de empresas pela Universidade Moderna, obtendo depois um mestrado em Marketing na Universidade Técnica de Lisboa.

Já Miguel Perestrello de Vasconcelos assumiu funções no Turismo de Portugal entre 2005 e 2013, passando depois (em agosto de 2015 e março de 2017) pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, ao cargo de Miguel Coelho, do Partido Socialista. Como indica a mesma publicação, o currículo do irmão de Marcos Perestrello não foi divulgado com a nota de nomeação para a Movijovem, como é prática corrente.

Marcos Perestrello foi secretário de Estado da Defesa Nacional de Portugal, de 26 de novembro de 2015 a 17 de outubro de 2018. Antes, no governo de José Sócrates, fora secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, de 2009 a 2011. Foi eleito pela primeira vez como deputado em 2005, função que retomou após outubro de 2018.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: nviegas@observador.pt
Parlamento Europeu

Portugal poucachinho na Europa. E cá?

Bruno Martins

Se estes são os representantes que conseguimos ter, então não é de espantar que os Portugueses tenham cada vez menos interesse na Europa e que a abstenção continue a aumentar nessas eleições.

Combustível

Teorias da conspiração /premium

Manuel Villaverde Cabral

A única coisa que não sabemos ao certo acerca da greve dos camionistas é se o governo a combate a sério, servindo-se para isso da implantação do PS na organização do patronato, ou se finge combatê-la.

Combustível

Uma história de hipocrisia /premium

Paulo Tunhas
447

António Costa precisa, quanto mais não seja por causa da dúbia origem do seu poder, de afirmar constantemente a sua autoridade. Daí também ter encenado um espectáculo sem par.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)