O Conselho do Atlântico Norte, o órgão máximo da NATO, decidiu prolongar esta quinta-feira o mandato do atual secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg, mais dois anos, até 30 de setembro de 2022.

Em dezembro de 2017, a NATO já tinha prolongado o mantado de Stoltenberg até 30 de setembro de 2020. “Honrado com a decisão dos aliados da NATO de prolongar o meu mandato como secretário-geral até 30 de setembro de 2022. Juntos, continuaremos a adaptar e modernizar a nossa Aliança para a manter em forma para o futuro”, escreveu o político norueguês no Twitter.

Em comunicado, Stoltenberg agradeceu também aos membros da Aliança Atlântica por “depositarem a sua confiança” nele. “Enfrentamos os maiores desafios à segurança ocorridos numa geração, e quero continuar a trabalhar com todos os aliados para adaptar e modernizar a NATO”, sublinhou, acrescentando que agora está concentrado na reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros que se realizará em Washington a 3 e 4 de abril para assinalar os 70 anos da organização.

Um dia antes da reunião ministerial, a 2 de abril, Stoltenberg aproveitará a viagem à capital norte-americana para se avistar com o Presidente da principal potência mundial, Donald Trump. Durante a sua estada em Washington, manterá também encontros com a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, e o secretário de Estado, Mike Pompeo.

Economista de formação, Jens Stoltenberg ocupou diversas pastas ministeriais no Governo da Noruega nos anos 1990 e foi primeiro-ministro do país duas vezes: entre 2000 e 2001 e, mais tarde, entre 2005 e 2013. Em outubro de 2014, assumiu o cargo de secretário-geral da NATO, em substituição do dinamarquês Anders Fogh Rasmussen.