Trabalho

Empregos em tecnologia podem valer até 95 mil euros por ano em Portugal

A Landing.Jobs analisou mil ofertas durante 2018 e a proposta mais alta no sector de tecnologia em Portugal foi de 95 mil euros brutos ano. Diretor de Tecnologia é o cargo com maior salário.

Os programadores de iOS podem auferir cerca de 4.428 euros mensais brutos

Tomohiro Ohsumi/Getty Images

Os cargos ligados ao setor da tecnologia em Portugal podem oferecer até cerca de 6.785 mensais brutos (95 mil euros ano a dividir por 14). A conclusão é da Landing.jobs, startup portuguesa que desenvolveu uma plataforma de recrutamento online para o setor das tecnologias de informação.

A empresa analisou mil propostas de emprego na plataforma e as ofertas para cargos de maior responsabilidade, como diretor de tecnologia (CTO) e gestor de engenharia de sistemas (head of engineering), foram as que tiveram valores mais altos: 95 mil e 90 mil euros anuais, respetivamente.

Em relação aos cargos mais técnicos da indústria tecnológica, os valores baixam. Os programadores de iOS (o sistema operativo móvel da Apple) e os programadores de Android (o sistema operativo móvel da Google) podem auferir cerca de 4.428 euros mensais brutos (62 mil euros anuais) e 4.285 euros (60 mil euros anuais).

Em relação a dados recolhidos no ano anterior, verifica-se um aumento de cerca de 10% no salário médio. O maior crescimento registou-se nas posições ligadas à gestão e destaca-se ainda o aumento dos salários em posições de back-end, mobile e análise de dados”, explica Maria Tolentino, responsável da Landing.Jobs.

Segundo a Landing.jobs, os cargos mais comuns em Portugal no setor de tecnologia são os de programador como Full-stack Developer (29,7%), Back-end Developer (13,8%) e gestor de projeto. Estes cargos podem render até 55 mil euros anuais.

Trabalhadores com mais de cinco anos de experiência tendem a ter salários mais altos. Em empresas de produto, estes valores podem subir em 20%, afirma a plataforma. Já em consultoras, podem descer em 10%.

Em comunicado, José Paiva, presidente executivo da Landing.Jobs, afirmou que “os salários podem ser decisivos para atração e retenção de talento e é importante que as empresas tenham estas questões em consideração”.

Quanto a cidades, “Lisboa continua a ser o maior hub tecnológico do país e o local de referência para desenvolvimento em Portugal”, diz Maria Tolentino. Das mil propostas, 850 eram na capital portuguesa e na capital e no Porto as ofertas tendem a ser 5% a 10% inferiores.

A Landing.jobs ajudou a contratar cerca de 1.100 pessoas para mais de 300 clientes diferentes e em 2018 atingiu uma faturação de dois milhões de euros. O Milenium BCP, EDP, Bosch, Siemens, Volkswagen, Prozis, Uniplaces, Farfetch, Zalando, Sky, Booking.com estão entre os clientes que rocuram candidatos pela plataforma portuguesa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Futuro

A Tecnologia e o Orgulho da Civilização

Nuno Cerejeira Namora

Em 2017, a economia digital representou 4,6% do PIB português contra 13,8% no Reino Unido. A expectativa de que este valor venha a crescer ao longo da da próxima década é enorme.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)