O Canadá está apostado em melhorar a qualidade do ar nas grandes cidades e, simultaneamente, cortar as emissões de dióxido de carbono. Daí que tenha lançado uma campanha de incentivos que atribui a cada veículo eléctrico, a bateria ou a fuel cell, uma ajuda de 5.000 dólares. Porém, decidiu impor umas condições algo bizarras, abrindo os incentivos apenas a veículos que possuam uma versão base de até 45.000 dólares, mesmo que depois o preço da aquisição possa atingir 55.000 dólares.

A sofisticação da legislação canadiana levou muitos a concluir que se tratava de uma regulamentação concebida especificamente para afastar os modelos da Tesla, isto porque ninguém ainda se esqueceu da batalha comercial entre o Canadá e os EUA. Daí que foi sem surpresa que se assistiu ao lançamento de uma versão do Model 3 especificamente para os mercados das províncias de Ontário, Quebec e Colúmbia Britânica.

O Model 3 em causa é um Standard Range Plus, que em Portugal é proposto por 48.900€ (com 415 km de autonomia, segundo o WLTP) e que no Canadá é anunciado por 55.010 dólares e 386 km (segundo o sistema americano EPA) entre recargas. A Tesla pegou neste mesmo modelo, reduziu-lhe o preço em 10 dólares, para depois criar um Model que denominou Low Range, específico para o Canadá. Como seria de esperar esta versão é proposta por 44.999 dólares, sendo contudo estranho que anuncie apenas 150 km de autonomia. Isto torna o modelo sem qualquer interesse real para o mercado – canadiano ou qualquer outro.

Inicialmente, pensou-se que a Tesla tinha criado uma versão em que limitou electronicamente a capacidade da bateria, que depois desbloquearia perante um pagamento extra de 10.000 dólares. Mas a ser assim, não fazia sentido a autonomia ser tão baixa. Depois de questionada pelos clientes, a Tesla informou que não estavam disponíveis upgrades de bateria para o Model 3 Low Range, o que tornou evidente que a marca não quer mesmo vender a versão que apenas faz 150 km entre recargas. E assim consegue cumprir a lei local, ao ter uma versão até 44.999$, para depois vender a que já oferecia antes, por 55.000$, substancialmente mais competitiva. Está visto que até no Canadá há muitas formas de levar a água ao moinho…