Aos 23 anos, Anri Egutidze, judoca nascido na Geórgia mas há alguns anos naturalizado português, é uma das grandes promessas nacionais da modalidades numa categoria que nos últimos tempos nunca conseguiu alcançar grande representatividade no plano dos resultados (-81kg). Vice-campeão europeu de juniores em 2016, tem somado alguns pódios em competições internacionais de relevo, como o Grand Prix de Tbilisi ou Grand Prix de Zagreb, e ocupa o 16.º lugar do ranking da categoria, que lhe garante uma vaga na próxima edição dos Jogos Olímpicos, em 2020. Mas há dias em que tudo parece correr mal e este sábado foi um desses para o judoca, que acabou por ser desclassificado no Grand Slam de Baku por deixar cair um telemóvel.

Catarina Costa conquista medalha de bronze no Grand Slam de Baku

Motivado com os resultados internacionais alcançados neste início de 2019 (quinto lugar e à beira da medalha no Grand Prix de Telavive, no Grand Slam de Düssseldorf e no Grand Prix de Tbilisi), Anri ficou isento da primeira ronda na categoria de -81 no Azerbaijão e esperou pelo resultado do combate entre o cipriota Phedias Konnaris e o sueco Robin Pacek. O pior viria logo de seguida: diante do escandinavo, o luso-georgiano, que era candidato às medalhas em -81kg, entrou de forma inadvertida com o telemóvel no tatami depois de ter vindo dos balneários a ouvir música e acabou desclassificado depois da queda do aparelho que estava no bolso.

“Já me ligou a pedir desculpas pelo erro cometido. Disse que não teve cuidado pois tinha tirado o relógio e tudo o que tinha mas não sabe como deixou o telemóvel. Além disso referiu que estava disponível para pagar todas as despesas que entendêssemos, viagem, alojamento, no Azerbaijão. Não terá de o fazer. São incidentes que acontecem mas espero que ele e todos da Seleção aprendam com este descuido. Então prometeu-me que iria pagar com uma medalha nos Jogos Europeus de Minsk”, contou Jorge Fernandes, presidente da Federação Portuguesa de Judo, ao jornal A Bola.

A Seleção Nacional encontra-se a disputar o Grand Slam de Baku com vários atletas desde sexta-feira, com destaque para a medalha de bronze conquistada por Catarina Costa em -48kg e para o quinto lugar de Maria Siderot na mesma categoria. Este domingo, último dia de prova, Yahima Ramírez (-78kg) e Rochele Nunes (+78kg) já foram eliminadas mas Jorge Fonseca continua em prova (-100kg), tendo já garantido presença nas meias-finais, que se realizam esta tarde.