O urso pardo encontrado no Parque Natural de Montesinho, em Bragança, já terá regressado a Espanha. Em declarações ao Expresso, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas diz que há cinco dias que não há sinais de que o animal continua a deambular por Portugal. A possibilidade de ter regressado a Espanha, de onde tinha vindo, é a mais provável, explica Armando Loureiro, diretor do Departamento de Conservação da Natureza e Florestas do Norte.

Armando Loureiro ressalvou ao Expresso que é possível que o urso pardo ainda esteja pelo parque, mas em localização incerta, já que o território tem 100 mil hectares. No entanto, o animal também pode ter regressado a casa: “Há uma década ou mais que se registam aproximações destes animais cada vez mais frequentes ao Nordeste Transmontano e mesmo que este urso volte ao seu local de origem, pode regressar a Montesinho”.

A 8 de maio, o Serviço Territorial de Meio Ambiente de Zamora confirmaram a existência de um urso pardo em Portugal, um país onde a espécie é considerada extinta. Isso mesmo foi explicado pelo governo regional de Castela e Leão em comunicado: “A administração regional [de Castela e Leão] alertou para a presença deste urso às autoridades portuguesas, que finalmente confirmaram a sua descoberta”.

O último urso pardo que viveu em Portugal foi morto em 1843 no Gerês, depois de ter existido em todo o país, assegura o livro Urso Pardo em Portugal — Crónica de uma extinção, de Paulo Caetano e Miguel Brandão Pimenta, publicado em 2017. “Dá-se a circunstância de ser a primeira vez, nos últimos dois séculos, em que a presença desta espécie no país vizinho é confirmada de maneira confiável”, asseguram as autoridades regionais espanholas.