O primeiro-ministro português e o presidente francês salientaram esta segunda-feira a importância da criação de “uma coligação de progresso e futuro” após as eleições europeias entre as forças políticas que pretendem construir a próxima etapa do projeto europeu.

“Temos a ganhar se partilharmos este gosto que temos os dois pelo futuro da Europa nestas eleições e temos de construir, com outros colegas, por uma coligação de progresso e futuro para o próximo Parlamento [Europeu], mas também para o próximo executivo europeu para juntos construirmos uma nova etapa do nosso projecto”, disse o Presidente da República francesa, Emmanuel Macron, que recebeu esta noite António Costa no Palácio do Eliseu, residência oficial do chefe de Estado francês.

Ao lado de Macron, o primeiro-ministro português, António Costa, que já tinha falado esta tarde na urgência da construção desta aliança para fazer face à extrema-direita, respondeu no mesmo tom. “É uma semana decisiva para o nosso futuro. É a semana em que chamamos todos os cidadãos a participar nestas eleições, que são decisivas. Precisamos de construir uma grande coligação de democratas e progressistas”, afirmou o governante português.

António Costa janta esta noite com o presidente francês, Emmanuel Macron, menos de uma semana antes das eleições europeias em Portugal e França, marcadas para domingo. Mais do que colegas, os dois governantes afirmaram ser “amigos”, apesar de pertencerem a famílias políticas diferentes. António Costa alinha pela família europeia socialistas, enquanto Macron deverá ter o seu partido a sentar-se na bancada dos liberais em Estrasburgo.

Como tema de conversa do jantar, além do ato eleitoral de domingo, estarão também os próximos meses que se afiguram decisivos para o projeto europeu.

“Estamos prestes a atingir uma nova meta do projeto europeu em conjunto. Vemos em toda a Europa uma escolha histórica que é posta a todos os nosso cidadãos, se queremos desconstruir a Europa e voltar ao nacionalismo ou se queremos refundá-lo com um projeto ambicioso para o século XXI. E nós partilhamos uma convicção simples, a União faz a força e temos um projeto de futuro com mais ambição para Europa”, afirmou o pesidente francês.

O primeiro-ministro português sublinhou ainda, nas declarações à porta do Palácio do Eliseu, em Paris, que os cidadãos precisam de “uma Europa de sucesso”, deixando o apelo à participação dos cidadãos nas eleições de 26 de maio.

Antes deste encontro, o primeiro-ministro esteve nos armazéns BHV, onde Portugal tem um lugar de destaque até dia 25 de junho como país convidado, e teve depois uma reunião com Anne Hidalgo, presidente da Câmara de Paris.