Rádio Observador

PSD

Rio vai à Festa do Pontal em 31 de agosto e encerra Universidade de Verão no dia seguinte

Os dois eventos marcam tradicionalmente a 'rentrée' do partido social-democrata. A Festa do Pontal realizar-se-à em Monchique. No dia seguinte, Rio encerra a Universidade de Verão do partido.

No ano passado, estes dois eventos decorreram com um intervalo de uma semana

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A Festa do Pontal e o encerramento da Universidade de Verão do PSD, os dois momentos que marcam tradicionalmente a ‘rentrée’ do partido, coincidem este ano no mesmo fim de semana, 31 de agosto e 1 de setembro.

O presidente do partido, Rui Rio, marcará presença no último sábado de agosto na Festa do Pontal, que este ano se realizará em Monchique, segundo um comunicado divulgado pela distrital do Algarve do PSD.

No dia seguinte, confirmou à Lusa fonte oficial do PSD, Rio encerrará, como habitualmente, a Universidade de Verão do partido, que se realiza entre 26 de agosto e 1 de setembro, em Castelo de Vide (Portalegre).

No ano passado, estes dois eventos decorreram com um intervalo de uma semana.

De acordo com o comunicado enviado à imprensa pelo presidente da distrital do PSD/Algarve, David Santos, esta estrutura, “em estreita articulação e colaboração com a direção nacional do PSD, escolheu Monchique para ser o palco da tradicional Festa do Pontal”.

“Esta escolha prende-se não apenas com a importância de dar expressão a um concelho da serra algarvia, mas também deve ser encarada como uma manifestação de solidariedade para com aqueles que foram vítimas do terrível incêndio de 2018”, acrescenta o texto.

Tal como no ano passado, do programa da Festa constará um torneio de futebol e jogos tradicionais, para além de um arraial popular que terá lugar no Mirante de Monchique, “local onde há registo fotográfico do primeiro comício de Francisco Sá Carneiro no Algarve”.

Será ainda atribuída uma banca a cada um dos distritos, de forma a estarem representados os vários pontos do país.

No ano passado, a primeira Festa do Pontal sob a liderança de Rui Rio decorreu num novo formato e data, depois de anos em que se realizou a meio de agosto, no calçadão da Quarteira, à noite, e centrada nas intervenções políticas do então presidente do partido Pedro Passos Coelho.

Em 2018, a festa passou para 1 de setembro e incluiu um jogo de futebol entre dirigentes nacionais, locais e autarcas, e intervenções políticas a meio da tarde, em Fonte Filipe, Querença (Loulé).

Foi com o anterior líder do PSD, Pedro Passos Coelho, que a Festa do Pontal retomou a tradição de contar com a presença do presidente do partido, depois de a sua antecessora Manuela Ferreira Leite não ter estado nas duas edições que se realizaram no seu mandato.

Esta festa começou com a presença do fundador do partido Francisco Sá Carneiro, em 29 de agosto de 1976, num pinhal na zona do Pontal, próxima do aeroporto de Faro e que deu nome ao encontro, e ao longo dos anos já se realizou em diversos locais no Algarve, e contou com líderes como Francisco Pinto Balsemão, Cavaco Silva, Fernando Nogueira, Marcelo Rebelo de Sousa, Luís Filipe Menezes e Marques Mendes.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)