Rádio Observador

Ambiente

Ministro diz que eventuais problemas de abastecimento de água serão “pontuais”

Entidades estão prontas para contratação de camiões cisterna e abastecer reservatórios de água, mas o ministro do Ambiente disse que a atual situação de seca é "menos complexa" do que a de 2017.

Ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, frisou que "a única solução de longo prazo, não posso deixar de dizer, é mesmo poupar água"

NUNO VEIGA/LUSA

O ministro do Ambiente disse nesta sexta-feira que a atual situação de seca é “menos complexa” do que a de 2017 e se houver problemas de abastecimento público de água serão “absolutamente pontuais e em pequenas localidades”.

“Relativamente ao abastecimento público, os problemas, a acontecerem, serão sempre absolutamente pontuais e em pequenas localidades”, mas “não temos nenhuma previsão de que eles possam vir a acontecer”, afirmou o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, aos jornalistas, no concelho de Beja.

Segundo o governante, “em pequenos aglomerados, que no verão recebem mais pessoas, esses problemas podem surgir”, mas as entidades responsáveis estão preparadas para responder a eventuais problemas, através da contratação de camiões cisterna para abastecer reservatórios de água das localidades afetadas.

Não temos agora uma situação de seca tão complexa como tínhamos há dois anos por esta altura, é menos complexa, mas temos a absoluta consciência de que, com o aquecimento global, a tendência – não quer dizer que cada ano seja pior – é, de facto, de agravamento”, alertou o ministro.

João Pedro Matos Fernandes disse ter “sempre muito pudor” em transmitir “mensagens muito tranquilizadoras, porque, de facto, a água é um recurso escasso”.

“Estamos na bacia mediterrânica”, onde “é menor a quantidade de água que cai da chuva do que aquela que consumimos”, sublinhou.

Por isso, frisou, “a única solução de longo prazo, não posso deixar de dizer, é mesmo poupar água“.

“Independentemente de podermos ir para a cama mais descansados um dia ou outro, o problema da escassez é real e temos mesmo de fazer um uso muito racional da água sempre”, disse.

O ministro falava aos jornalistas após ter inaugurado duas novas estações de tratamento, uma de águas residuais e outra de abastecimento público, investimento que considerou “muito importante para poder dar fiabilidade a todo o sistema de água de Beja”.

O mais recente Boletim Climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, divulgado no dia 04 deste mês, indicava que a situação de seca meteorológica manteve-se no final de junho, tendo-se verificado um “ligeiro aumento” da área em seca extrema na região sul.

De acordo com o boletim, 33,9% do território continental estava em seca extrema ou severa, 22,7% em seca moderada e 40,9% em seca fraca.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)