Rádio Observador

Macau

Macau elege no domingo novo chefe do governo. Ho Iat Seng pode ser o sucessor de Fernando Chui Sai On

O atual líder do executivo, Fernando Chui Sai On, não pode recandidatar-se, e deverá passar o testemunho a Ho Iat Seng, que promete desenvolver a "política democrática de forma ordeira".

Fernando Chui Sai On e Ho Iat Seng numa assembleia legislativa em 2015

Visual China Group via Getty Ima

Autor
  • Agência Lusa

Os 400 membros da Comissão Eleitoral vão eleger no domingo Ho Iat Seng como novo chefe do governo de Macau, que toma posse no dia 20 de dezembro, substituindo Fernando Chui Sai On, há uma década no cargo.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa (AL) de Macau é o único candidato ao cargo, já que foi a “única pessoa que entregou os boletins de propositura necessários”, indicou a Comissão de Assuntos Eleitorais do Chefe do Executivo (CAECE) em 25 de julho.

Depois de ter cumprido dois mandatos de cinco anos, o atual líder do executivo, Fernando Chui Sai On, não pode recandidatar-se, e deverá passar o testemunho a Ho Iat Seng, de 62 anos, que entregou 379 boletins assinados por membros da Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo (CECE), que vai eleger o líder do governo de Macau no domingo.

Para apresentar o boletim de propositura, os candidatos precisavam de recolher a assinatura, ou apoio, de pelo menos 66 dos 400 membros do colégio eleitoral. Cada membro pode propor um só candidato. Além de ser eleito pelo colégio eleitoral, o candidato a chefe do Executivo é nomeado pelo governo Central, de acordo com a ‘mini Constituição’ do território, a Lei Básica, e a respetiva lei eleitoral.

Na conferência de imprensa que se seguiu, em 10 de agosto, à apresentação do programa político aos membros da CECE, Ho Iat Seng afirmou que ia promover gradualmente a democracia na região administrativa especial chinesa. Contudo, não se comprometeu, depois de ser eleito, a pedir ao governo central chinês que permita a Macau avançar para um sistema político assente no sufrágio universal.

“Se for eleito (…) promoverei o desenvolvimento político democrático de forma ordeira”, assegurou Ho Iat Seng, considerando ser esta uma matéria que não se resolve “de um dia para o outro” por estar relacionada “com a reforma política de uma região”.

O único candidato disse ainda que uma das prioridades do programa político apresentado passa por “assegurar que o princípio ‘Um país, dois sistemas’ não sofre qualquer desvio”.

O empresário estreou-se como deputado em 2009, ano em que foi eleito para o cargo de vice-presidente da AL. Quatro anos depois, em 2013, Ho Iat Seng foi escolhido para o de presidente daquele órgão. Até abril passado, foi um dos 175 membros do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional chinesa.

O candidato a chefe do governo é administrador e gerente-geral da Sociedade Industrial Ho Tin S.A.R.L.; presidente do conselho de administração da Companhia de Investimento e Desenvolvimento Ho Tin, Limitada; e administrador e gerente-geral da Fábrica de Artigos de Plástico Hip Va.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)