O host passou pelo clube e foi capitão, um dos primeiros convidados do dia no Sports Trade esteve 15 anos no clube e também foi capitão. Juntos, jogaram um total de oito anos ao serviço do clube, o Benfica. Mais uma vez, como já tinha acontecido no ano passado, os encarnados foram os representantes nacionais na Web Summit e falaram de novo sobre o caminho que têm feito a nível de formação como “um dos líderes no desenvolvimento de jogadores e que recebeu 250 milhões de euros em vendas”, como foi apresentado pelo ex-avançado Nuno Gomes.

“Não somos nós que temos de dizer se somos ou não os melhores, queremos apenas competir com os melhores e que os nossos jogadores compitam com os melhores. O nosso objetivo é criar jogadores para a equipa principal, que possam depois jogar na Liga dos Campeões. Não há propriamente um segredo aqui, porque vários clubes clubes querem fazer o mesmo”, começou por dizer Pedro Marques, diretor técnico do Benfica Campus, antes de resumir em quatro pontos todo o processo que tem levado jovens jogadores à equipa principal.

“Primeiro, temos de encontrar o melhor talento e é por isso que temos uma grande rede de olheiros que anda à procura desse talento, de determinadas características de jogadores de 10/12 anos, a perceber o seu potencial. A seguir temos a parte da metodologia, que é baseada muito na parte individual. Temos 450/500 jovens no sistema porque todos eles precisam de ter o seu próprio caminho e desenvolvimento em cada uma das idades, não só no campo mas também na escola e na parte social, que é importante porque desenvolvem aí a sua personalidade. A seguir, temos de pensar como será o jogador do futuro: saber todos os ingredientes associados ao jogo moderno e à própria evolução da sociedade porque há dez anos por exemplo tudo era diferente, saber o nível de competição que é melhor em cada uma das idades para o seu desenvolvimento. Por fim, as oportunidades, os mais jovens saberem que no final do caminho irão chegar à equipa principal e jogarem no topo do clube”, resumiu.

“O desafio aqui é sempre encontrar o equilíbrio certo. A Academia existe pela primeira equipa de futebol, existe para alimentar a primeira equipa, existe para criar valor para a equipa e para o clube: fazer o caminho para chegar à primeira equipa e ter minutos de jogo, fazendo com que não exista necessidade de fazer um recrutamento no exterior ou que se possam reforçar outras posições. Depois, existe a parte financeira. Sabemos que não somos os principais tubarões, que existem clubes interessados nos nossos jovens e é aí que procuramos ter o equilíbrio certo, até porque os fãs gostam de ter jogadores da formação na equipa”, acrescentou, destacando o total compromisso e a mesma visão de toda a estrutura, a começar pelo topo e pelo próprio presidente.

Quem também esteve presente foi Luisão, antigo capitão que jogou mais de 15 anos nas águias antes de se tornar embaixador do clube e que falou na importância dos jovens também para sustentar as ambições europeias.

“Jogaram muitos jogadores da formação com características diferentes comigo, de posições e tamanhos diferentes mas com algo em comum: a dedicação e o profissionalismo. Confiamos muitos nos nossos treinadores de base e depois na equipa principal tentamos passar o que representa o Benfica e a importância de respeitar o clube e os mais velhos. Sempre vi uma grande capacidade de sucesso no Benfica Campus pela estrutura forte que está montada e pelas condições a nível de infraestruturas e não só que consegue também criar uma atmosfera familiar, para se fazerem não só grandes jogadores mas também grandes pessoas, pela parte humana”, salientou.

“O Benfica vai continuar a ter sucesso em Portugal, dos jogadores aos técnicos, passando pelos dirigentes. O objetivo é sempre o título, ir à Liga dos Campeões porque é importante para o projeto, e a academia vai ser sempre uma parte fundamental do sucesso para sermos competitivos na Europa. A Champions não é fácil mas podemos ir aos oitavos ou aos quartos e a partir daí tudo pode acontecer. As pessoas têm de continuar a acreditar em nós”, completou o brasileiro, projetando também as ambições na Liga dos Campeões dos encarnados.