A Guarda Revolucionária do Irão apreendeu esta segunda-feira no Golfo Pérsico um navio “estrangeiro” suspeito de “contrabando de petróleo” e deteve 16 tripulantes de nacionalidade malaia, divulgou a estação iraniana IRIB.

A força militar de elite iraniana confiscou 1,3 milhões de litros de “combustível de contrabando” a 24 quilómetros da ilha de Abu Moussa, precisou a estação iraniana na sua página na Internet.

“Dezasseis tripulantes, todos cidadãos da Malásia, foram detidos”, referiu o comandante da força naval da Guarda Revolucionária do Irão naquela zona, general Ali Ozmayi, segundo a IRIB.

Abu Moussa é uma das três ilhas no sul do Golfo Pérsico que estão sob o controlo do regime de Teerão, sendo igualmente reivindicadas pelos Emirados Árabes Unidos.

De acordo com Ali Ozmayi, a embarcação, cuja origem do pavilhão não foi divulgada, “é a sexta que a força naval (da Guarda Revolucionária) apreende por contrabando de petróleo”.

Esta região, considerada como vital para o tráfego mundial de petróleo, tem sido cenário de fortes tensões desde que os Estados Unidos decidiram sair unilateralmente, em maio de 2018, do acordo internacional sobre o dossier nuclear iraniano, firmado em julho de 2015.

A par das apreensões de embarcações suspeitas de contrabando, uma série de incidentes de origem desconhecida registados nesta rota marítima contra petroleiros foram atribuídos por Washington a Teerão, que sempre negou qualquer responsabilidade nos incidentes.