Luanda vai ter, em 2021, um novo parque de exposições na Zona Económica Especial (ZEE), um investimento estimado em 25 milhões de euros, segundo o administrador do grupo Arena, especializado em organização de feiras e eventos.

“A Arena está a liderar o processo, junto com um grupo de investidores privados, e esse parque de exposições deve ser uma realidade em 2021”, disse à Lusa Manuel Novais, à margem da 2.ª Edição da Expofeiras 2020 — Exposição Nacional sobre Feiras em Angola.

“Todos nós sabemos que Luanda tinha uma necessidade urgente nesse sentido”, acrescentou, referindo que o parque vai ocupar uma área aproximada de 40 mil metros quadrados e poderá receber até mil visitantes, dispondo de estacionamento e condições logísticas adequadas.

Por agora, “as necessidades têm sido supridas” com um pavilhão adaptado na ZEE para a realização de feiras.

“Não é o ideal, mas não sendo o ideal não deixamos de as fazer”, reconheceu Manuel Novais, sublinhando “o grande esforço” que tem sido feiro para dar resposta ao interesse que os expositores têm manifestado em estar presentes, mesmo sabendo “que não há outra opção” para já.

Sobre as novidades para este ano, o responsável destacou o lançamento da ExpoNamibe, um certame vocacionado para o tecido empresarial e industrial daquela província do sul de Angola, bem como o envolvimento de três ministérios na Alimentícia (Indústria, Comércio e Agricultura) para que, “na mesma feira” seja possível encontrar “desde a produção ao consumidor final”.

A Arena vai organizar este ano nove feiras, com destaque para a Feira Internacional de Luanda (FILDA), a “maior bolsa de negócios de Angola” que se realiza desde 1983.

O responsável da empresa afirmou ainda que a realização e participação nas feiras não tem sido afetada pela crise económica.

“Eu acho que é nas alturas de crise que se tem de investir, as crises obrigam a criar janelas de oportunidades e as empresas têm de se promover e divulgar”, realçou, apontando a indústria como o setor mais atrativo para as feiras nacionais.