Cinco pessoas vão ser julgadas pelo Tribunal de Sintra pelos crimes de associação de auxílio à imigração ilegal, extorsão, sequestro e falsificação de documentos, informou esta segunda-feira a Procuradoria Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Os arguidos estão, igualmente, acusados dos crimes de casamento ou união de conveniência, ameaça e coação agravada.

No essencial ficou indiciado que a principal arguida criou um grupo com o objetivo de favorecer, a troco de dinheiro, a entrada de cidadãos estrangeiros em território nacional, mediante a celebração de casamentos com portuguesas que angariava propositadamente para o efeito”, refere a nota da PGDL, publicada na sua página da internet.

A nota adianta ainda que, “com o propósito de conseguir que uma das arguidas continuasse a colaborar, outros arguidos” ameaçaram-na e puseram em causa “a sua integridade física e dos seus familiares” e “obrigaram-na a entregar dinheiro”, privando-a “da sua liberdade de movimentos”.

Três dos cinco arguidos acusados pelo Ministério Público encontram-se em prisão preventiva.