A maioria dos especialistas está de acordo que, nesta fase da guerra contra o coronavírus, é necessário que os cidadãos evitem o contacto com outros, remetendo-se a um confinamento que raramente é uma experiência agradável, mesmo que salve vidas. Ora, nem de propósito, a Lamborghini tem um dos seus modelos a garantir um confinamento que ninguém consegue evitar.

O problema foi detectado nos EUA, especificamente nos Aventador SVJ Coupé e Roadster. Logo, no mais possante e rápido dos modelos do refinado fabricante italiano. Segundo a National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), o equivalente à nossa Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, os condutores destes superdesportivos podem ficar presos dentro do habitáculo, uma vez que as portas deixam de abrir. Convenhamos que, se bem que existam locais piores para estar trancado, poucos clientes apreciarão esta forma de evitar o contacto com potenciais infectados pelo coronavírus…

Ao que a NHTSA apurou, em causa está uma montagem deficiente no sistema de abertura das portas que, com o tempo, pode deixar de funcionar, o que é facilmente resolúvel após uma breve visita à oficina. O defeito deverá envolver cerca de 40% das 26 unidades comercializadas nos EUA, fabricadas entre 3 de Dezembro de 2019 e 22 de Janeiro de 2020. A chamada à oficina já foi ordenada naquele país.

O Aventador SVJ é um modelo “selvagem”, cujo imponente motor V12 atmosférico, com 6,5 litros de capacidade, fornece 770 cv e consegue “gritar” desesperadamente até quase às 9000 rpm, notável numa unidade com destas dimensões. O resultado é a capacidade de atingir 100 km/h ao fim de apenas 2,9 segundos, para depois continuar a acelerar até aos 350 km/h.