O Ministério das Infraestruturas veio esclarecer que o comunicado atribuído a este ministério que anuncia o cancelamento dos projetos do Aeroporto do Montijo e da expansão da capacidade na Portela é falso. O comunicado com logotipo deste ministério foi enviado no dia 1 de abril, conhecido pelo dia das mentiras, a alguns jornalistas via gmail, e chegou a ser noticiado por alguns órgãos de comunicação social.

“Circula nas redes sociais e nos meios de comunicação social um comunicado de imprensa falso com o logotipo do Gabinete do Ministro das Infraestruturas e da Habitação com o título “Cancelados projetos do Aeroporto do Montijo e de Expansão do Aeroporto da Portela”. Esta informação era sustentada no impacto da pandemia nos setores do turismo e da aviação, e a incerteza gerada neste quadro, e na necessidade de reavaliar projetos que “contribuem para agravar a crise ambiental”.

O ministério tutelado por Pedro Nuno Santos sublinha que não se trata de um comunicado oficial deste gabinete e acrescenta que “a informação dele constante também não é verdadeira”. Apela ainda aos meios de comunicação que não avancem com a notícia ou a retirem dos sites se já estiver publicada. Eis uma imagem do comunicado “falso” onde está bem visível a data de 1 de abril.

O comunicado que chegou a algumas redações

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O projeto do aeroporto complementar do Montijo recebeu uma declaração ambiental favorável condicionada no início do ano. O processo está agora do lado da gestora dos aeroportos, a ANA, que terá de desenvolver as fases necessárias à sua autorização final junto do regulador. Sabe-se já que uma das condições para essa aprovação não está garantida: o parecer favorável de todos os municípios envolvidos, dada a oposição de pelo menos duas autarquias. O PSD já manifestou entretanto a indisponibilidade para mudar a lei que obriga a estes pareceres de forma a viabilizar o projeto.

O Governo estava em conversas com as autarquias quando rebentou a crise do coronavírus, que fez cair a pique o tráfego nos aeroportos.