Um grupo de accionistas processou os responsáveis pelo Grupo Volkswagen, nomeadamente o CEO, Herbert Diess, e o chairman do conselho de supervisão, Hand Dieter Pötsch, acusando-os de não partilhar informações cruciais com os accionistas, o que conduziu a perdas elevadas. O processo, relacionado ainda com o Dieselgate de 2015, conheceu agora o desfecho, com o grupo alemão a pagar para fazer desaparecer as queixas contra os principais responsáveis do grupo.

De acordo com a Autonews Europe, as acusações de manipulação do valor de acções foram apresentadas no tribunal de Brunswick, no estado alemão da Baixa Saxónia, onde está localizada a sede do grupo germânico.

A Volkswagen sempre defendeu que as acusações contra os seus dois “generais” eram infundadas e que nem Diess nem Pötsch violaram qualquer lei, mas nada disto pareceu comover o juiz.

As acusações foram finalmente retiradas contra o pagamento de 4,5 milhões de euros por cada um dos executivos. Um valor elevado, mas uma mera gota de água quando comparado com os mais de 30 mil milhões que o Dieselgate já custou à Volkswagen, tema que a marca espera ter “arrumado” definitivamente.