Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Allianz Arena estava vazia mas até mesmo sem público há qualquer coisa diferente para as equipas visitantes quando se deslocam a Munique e não está circunscrita às quatro linhas. Vendo as imagens televisivas do encontro e olhando para a zona da tribuna, há Karl-Heinz Rummenigge, há Uli Höeness, há Oliver Kahn, há Salihamidzic (no banco). Há uma estrutura de peso, que conta ainda com Beckenbauer por exemplo. Herbert Hainer, o ex-CEO da Adidas, pode ser o presidente mas o Bayern é mais do que um clube – é um projeto, uma ideia, um conceito. E aí entronca um dos principais segredos para a hegemonia da equipa na Bundesliga, com sete títulos consecutivos.

Lewandowski é capaz de escolher cinco “números 9” melhores mas nenhum consegue os golos que ele tem

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.