Ao contrário do que foi escrito pelo Observador, Gonçalo Ribeiro Telles não morreu. O equívoco surgiu de um contacto com um amigo próximo do arquitecto.

O antigo ministro faz esta segunda-feira 98 anos e haverá uma homenagem na Igreja de São José dos Carpinteiros, em Lisboa, que fica perto da sua residência.

O Observador apresenta as suas desculpas ao próprio, à família e aos leitores.