A necessidade de encerrar a fábrica de Fremont, devido à Covid-19, colocou a Tesla numa situação embaraçosa. Não em relação às linhas de produção dos Model S, X e 3, mas especificamente no que respeita à área dedicada ao novo Model Y. A produção do SUV mais pequeno da marca tinha começado há pouco e o ritmo de produção estava ainda em fase de aceleração, pelo que a necessidade de parar tudo, repentinamente, tornou mais complicada a resolução das dificuldades que tradicionalmente acompanham a fabricação de novos modelos.

Durante algum tempo, falou-se de defeitos a nível da pintura e da montagem de algumas peças do Model Y, o que um email de Elon Musk, agora divulgado, veio confirmar. Afirma o CEO, num documento sob o título “Model Y Production”, que “aumentar o ritmo de produção do Model Y e minimizar a necessidade de proceder a rectificações é extremamente importante para nós”. E duplamente, pois não só os clientes se avolumam à espera do modelo, como eventuais problemas de juventude podem prejudicar a sua imagem.

Musk avança ainda que “a linha de montagem (General Assembly) é da maior prioridade para a produção”, da mesma forma que “a linha 4 da General Assembly é da maior importância”, sendo que esta é a linha criada no exterior da fábrica, numa tenda, exclusivamente para resolver os problemas de juventude aquando do lançamento do Model 3.

Musk termina o email a tranquilizar o pessoal, confirmando que “está tudo a correr razoavelmente bem com os Model S, X e 3, mas há dificuldades com o incremento da produção e com a rede de fornecedores, como é habitual nos novos veículos”, disponibilizando-se para “ajudar no que puder”.