Uma megaoperação liderada pela Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde, com mais de 270 agentes e militares, levou este sábado à detenção, na Praia, de 17 indivíduos suspeitos de vários crimes, nomeadamente homicídios e motim, divulgou aquela força policial.

Em comunicado, a PJ refere que a operação, realizada na localidade de Achada Grande Trás, na capital cabo-verdiana, resultou “de uma série de investigações que tinha em curso” e envolveu o cumprimento de 25 mandados de buscas a residências.

Os suspeitos têm idades compreendidas de 16 a 36 anos e oito foram detidos em flagrante delito. Os restantes nove são suspeitos, também, da “prática de crimes de homicídio, homicídio tentado, detenção e disparo de arma de fogo, motim, tráfico de drogas e roubo com violência sobre pessoas e coisas”, todos cometidos desde 2014 até ao presente.

“Os detidos, que fazem parte de três grupos rivais, que viviam em constante conflito entre si, e causavam transtornos aos moradores, serão presentes, dentro do prazo legal, às autoridades judiciárias competentes, para efeito do primeiro interrogatório judicial de arguidos detidos e aplicação de medidas de coação pessoal”, esclareceu a PJ no mesmo comunicado.

Nesta operação, na qual participou um contingente de 272 efetivos, a PJ descreve que contou com “o apoio crucial da Polícia Nacional e das Forças Armadas”, tendo apreendido dez armas de fabrico artesanal, denominadas de “boca bedjo”, 15 armas brancas, munições e droga, além de equipamentos e eletrodomésticos alegadamente furtados.