A carga tributária que incide sobre os veículos é tão mais “pesada” quanto maior for a cilindrada. A China não é excepção, razão pela qual a Mercedes se preparará para introduzir neste mercado asiático, onde os veículos importados são fortemente taxados, uma nova versão do Classe G que, ao invés de um seis cilindros em linha de 3 litros, terá sob o capot um quatro cilindros de 2 litros sobrealimentado, o novo motor a gasolina M 254 que passou a estar disponível com o facelift do Classe E.

Oficialmente, a marca a estrela ainda não se pronunciou a este respeito, mas as fotos do jipe captadas nas estradas chinesas levam a crer que os quatro cilindros estão de regresso ao aclamado todo-o-terreno de luxo alemão que, assim, fará uma espécie de regresso às origens, pois de início o Classe G foi proposto exclusivamente com motores de quatro cilindros.

A nova versão assumirá a designação comercial Mercedes G 350 e, segundo os últimos rumores, deverá ser apresentada dentro de um mês. Além de ser mais ligeira no peso da mecânica, terá ainda a vantagem de aligeirar o preço das versões de acesso do todo-o-terreno germânico.

A potência final debitada pelo G 350 ainda é desconhecida, mas crê-se que rondará os 300 cv, até porque o quatro cilindros deverá integrar um conjunto mild hybrid a 48 V, tal como acontece no Velho Continente, para baixar (ligeiramente) os consumos e, sobretudo, aumentar os benefícios fiscais. A confirmar-se, a opção pode recair na tecnologia EQ Boost, capaz de oferecer por momentos e em algumas circunstâncias 20 cv e 180 Nm adicionais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Resta aguardar que o fabricante de Estugarda torne públicas as suas intenções, idealmente clarificando se esta alternativa também chegará aos concessionários europeus como forma de ampliar o volume de vendas do Classe G.