A 9 de Setembro, a Lucid Motors vai apresentar ao público o Lucid Air, uma berlina de luxo que se destina a combater o Model S da Tesla. Mais do que isso, o Air visa ultrapassar o Model S naquele que sempre foi um dos seus principais argumentos de venda: a autonomia. Mas as surpresas não acabam por aqui, uma vez que durante as filmagens de promoção para o Air, a Lucid permitiu ainda que alguns automobilistas vislumbrassem o SUV que vai recorrer à mesma plataforma, destinado a concorrer com o Model X.

As filmagens decorreram numa estrada de montanha próximo da praia de Pescadero, na Califórnia, poucos quilómetros a Sul de São Francisco, com as autoridades a parar o trânsito por breves instantes. Isto permitiu que os veículos a aguardar na fila se apercebessem do que estava a acontecer e, de telemóvel em punho, registassem o momento. Imagens essas que rapidamente foram parar às redes sociais.

Além do Lucid Air, que próximo de outros veículos parece ainda mais comprido do que nas fotografias já reveladas, ainda em forma de protótipo, o novo SUV é ainda mais impressionante em termos de dimensões. Não parecendo necessariamente elegante, em parte porque o fabricante decidiu optimizar o espaço interior ao nível da bagageira, o SUV mantém a carroçaria a duas cores, devido ao tejadilho exibir um novo tom.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Não se conhece o comprimento do SUV, nem sequer se é maior ou menor do que a berlina, que já reivindica um comprimento total de 4,97 metros. Espera-se é que mantenha os dois packs de baterias que se antecipam para o Air, o grande (com 100 kWh) e o muito grande (com 130 kWh), para assim conseguir uma autonomia próxima dos 832 km anunciados para o Air, segundo o método americano EPA, contra apenas 647 km do Model S, nas mesmas condições.

Aguarda-se agora que a Tesla revele novidades no Battery Day, que terá lugar em Setembro, altura em que se espera o anúncio de baterias mais baratas e com mais densidade energética, para incrementar a autonomia. Resta saber se a Tesla será capaz de ultrapassar o alegado deficit de 185 km entre recargas, que agora parece existir.