A Polícia Judiciária deteve um homem de 34 anos suspeito de ter ateado, “pelo menos”, um fogo florestal na localidade de Alcaria, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco, anunciou aquela organização policial.

Em comunicado enviado à agência Lusa, O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda explica que a identificação e detenção foram realizadas em colaboração com o Grupo de Proteção Ambiental da GNR do Fundão e que o homem é suspeito da autoria de um incêndio ocorrido no dia 29 de julho.

Segundo a nota, o fogo teve início junto à vedação de uma empresa de recolha, gestão de resíduos e reciclagem de materiais usados.

“O incêndio, supostamente ateado por meio de chama direta, destruiu cerca de 1.200 metros quadrados de coberto vegetal, composto por mato”, é referido.

A PJ acrescenta que aquele fogo também destruiu parte de um sistema de rega e que provocou avultados prejuízos, que “só não terão sido ainda maiores graças à rápida comunicação e intervenção dos bombeiros”.

“De resto, não fosse a rápida intervenção dos bombeiros e do dispositivo para ali encaminhado para o combate ao incêndio, este ter-se-ia propagado a áreas florestais mais densas, a zonas agrícolas de valor muito relevante, colocando mesmo em perigo as próprias instalações da empresa para a qual o ora detido se encontrava a trabalhar naquela mesma data”, acrescenta a informação.

O detido, com 34 anos, vai agora ser presente às competentes autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação.