Cerca de 250 pessoas foram detidas em Minsk, na manifestação semanal da oposição, que contesta a reeleição considerada fraudulenta do Presidente Alexandre Lukachenko, em agosto, anunciou este domingo o Ministério do Interior da Bielorrússia.

“Cerca de 250 pessoas foram detidas em diferentes partes da capital” por “usarem bandeiras e outros símbolos” da oposição e “placas com mensagens ofensivas”, disse o Ministério do Interior num comunicado.

A porta-voz do Ministério Interior, Olga Tchemodanova disse à agência France-Presse (AFP) que “há detenções em curso”.

A ONG de direitos humanos Viasna afirmava pela manhã que “pelo menos 20 pessoas tinham sido presas”.

A Bielorrússia tem sido palco de várias manifestações desde 09 de agosto, quando Alexander Lukashenko conquistou um sexto mandato presidencial, numas eleições consideradas fraudulentas pela oposição e parte da comunidade internacional.

Nos primeiros dias de protestos, a polícia deteve cerca de 7.000 pessoas e reprimiu centenas de forma musculada, suscitando protestos internacionais e ameaça de sanções.

Os Estados Unidos, a União Europeia e diversos países vizinhos da Bielorrússia rejeitaram a recente vitória eleitoral de Lukashenko e condenaram a repressão policial, exortando Minsk a estabelecer um diálogo com a oposição.