A apresentação da peça “O Judeu”, de Bernardo Santareno, pela Companhia João Garcia Miguel, a 21 de novembro, no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém, é um dos pontos altos do programa de celebração do centenário do dramaturgo.

O programa das celebrações, em Santarém, do nascimento de Bernardo Santareno, pseudónimo de António Martinho do Rosário, nascido nesta cidade em 19 de novembro de 1920, foi apresentado este sábado pela vereadora da Câmara de Santarém com o pelouro da Cultura, Inês Barroso, e pelos membros do Grupo Coordenador do Centenário de Bernardo Santareno.

A exibição da peça “O Judeu”, no dia 21 de novembro, às 21:30, no Teatro Sá da Bandeira, cuja subida à cena implica um “vasto conjunto de recursos cénicos e dramatúrgicos”, dado tratar-se de um “texto monumental em extensão e número de personagens”, é uma das dezenas de iniciativas programadas, salientou.

O programa iniciou-se hoje com os espetáculos “Rua” e “Dança na Rua”, da Útero Companhia, de Miguel Moreira, e a exibição dos filmes do Pictorin – III Encontro Internacional de Artistas Plásticos, com obras sobre Bernardo Santareno, no Círculo Cultural Scalabitano.

À conferência de imprensa para apresentação da programação, que decorreu na Sala de Leitura Bernardo Santareno, seguiu-se um tributo ao dramaturgo e a ‘performance’ “Corpus Rei Publicae”, do bailarino Nuno Labau, terminando o dia com a apresentação ao vivo do novo disco de Marco Rodrigues, “Copo Meio Cheio”, às 21:30, no Convento de S. Francisco.

A programação prossegue no próximo dia 25, com a apresentação, no Fórum Mário Viegas, do Centro Cultural Regional de Santarém, do espetáculo multidisciplinar “O Amor de Lorca”, que cruza teatro, dança e poesia, numa produção de Paula Nunes, do Centro Dramático Bernardo Santareno.

No dia 01 de outubro, numa iniciativa da direção de Santarém do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, vão realizar-se sessões para as escolas a partir dos livros de Santareno “Nos Mares do Fim do Mundo”, para o ensino básico, e “Português, Escritor, 45 anos de idade”, para alunos do secundário.

No mesmo dia, a artista plástica escalabitana Fernanda Narciso inaugura a exposição de pintura e desenhos sobre peças de Bernardo Santareno, “Tudo em mim”, patente até 30 de novembro na Sala de Leitura Bernardo Santareno.

Para 09 de outubro, está marcado um jantar seguido de conferência, na Sociedade Recreativa Operária, com a participação do ator Vicente Batalha, que foi amigo do escritor.

Dia 10, no Teatro Taborda, a Academia de Dança e Expressão Corporal e o Veto Teatro Oficina do Círculo Cultural Scalabitano apresentam um espetáculo de teatro e dança de tributo a Bernardo Santareno.

Os Jograis 2 de Palavra(s), Domingos Lobo e Manuel Diogo, interpretam, a 16 de outubro, no Fórum Mário Viegas, “Poesia de Santareno”, um espetáculo integrado no Festival Internacional de Teatro e Arte para a Infância e Juventude (FITAIJ).

Os atores Vicente Batalha, Carlos Oliveira e Nuno Domingos, sob direção de Hélder Costa, de A Barraca, protagonizam, a 24 de outubro, no Teatro Taborda, “Conversas Improváveis: Santareno, Mário Viegas e Miguel Franco”, numa iniciativa da AJA – Associação José Afonso – Núcleo de Santarém.

A Catedral de Santarém vai receber, dia 31 de outubro, um concerto de música coral, pelo Coro do Círculo Cultural Scalabitano, nO qual será estreado o “Requiem a Bernardo Santareno”, obra do maestro António Matias para solistas, coro e orquestra, e ainda “Magnificat”, de Kim André Arnesen.

De 01 a 15 de novembro, Francisco Camilo executará um mural evocativo da obra de Bernardo Santareno, junto à avenida que tem o nome do escritor, no âmbito do FITAIJ, e, de 11 a 25 desse mês, numa iniciativa da Escola Superior de Educação/Instituto Politécnico de Santarém (ESES/IPS), vão acontecer “Conversas mirabolantes”, com personagens de obras de Bernardo Santareno à mesa de cafés e pastelarias do centro histórico da cidade.

O Vórtice Project, do Conservatório de Música de Santarém, apresenta, dia 14 de novembro, no Teatro Sá da Bandeira, o Concerto Comemorativo do Centenário de Bernardo Santareno.

O dia em que se assinala o centenário do nascimento do dramaturgo, 19 de novembro, inclui ações de animação sociocultural ‘online’ para crianças do primeiro ciclo e presenciais para jovens do 3.º ciclo e do secundário.

Alunos do Curso de Interpretação de Teatro da Escola Secundária Ginestal Machado participam no projeto de leituras encenadas, dinamizado pelo docente Jorge Louraço, numa parceria com a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE), estando ainda agendada para esse dia a apresentação, no Fórum Mário Viegas, do livro “Bernardo Santareno da nascente até ao mar”, de José Miguel Correia Noras.

No dia 20 de novembro, na Casa do Campino, João Barreto e João Garrido preparam um jantar temático “Bernardo Santareno de Santarém, do mar e da aldeia”, com animação dos alunos de teatro da Ginestal Machado e do Teatrinho de Santarém.

O espetáculo “O Bailarino”, a partir da primeira publicação de Bernardo Santareno, que reuniu três peças — “A Promessa”, “O Bailarino” e “A Excomungada” –, vai juntar, nos dias 27 e 28 de novembro, no Teatro Sá da Bandeira, elementos dos vários grupos de teatro do concelho, numa coprodução do Conservatório de Música de Santarém e do Centro Dramático Bernardo Santareno.

O programa termina no dia 16 de dezembro, com a estreia de um filme sobre as comemorações do centenário.