Se na Ineos dificilmente o ambiente podia ser pior, com Geraint Thomas a ser mesmo obrigado a desistir do Giro depois de ter ficado fora do Tour por opção técnica (estava a mais de 11 minutos do primeiro lugar após a queda que condicionou toda a terceira etapa), na Deceuninck-Quickstep podia ser pior e com um português como maior protagonista: esta manhã, dia da ligação entre Catania e Villafranca Tirrena (140 quilómetros), o dinamarquês Mikkel Frølich Honoré publicou no Instagram uma storie com João Almeida a dormir de capacete e camisola rosa vestida, no seguimento da histórica conquista da maglia mais desejada na véspera. Agora surgia uma etapa plana e com provável chegada ao sprint mas sempre com atenção às bonificações tendo em conta a distância inferior a um segundo para o colombiano Jonathan Caicedo, que ganhou no vulcão Etna.

Com Simon Pellaud (Androni), Kamil Gradek (CCC) e Marco Frapporti (Vini-Zabú KTM) a descolarem logo no início do pelotão, chegando a ter uma vantagem de quatro minutos, a etapa, marcada por muita chuva e frio, teve mais uma queda provocada por uma garrafa de água perdida no solo como acontecera com Thomas, desta vez provocando a queda de Pieter Weening e Eduardo Sepúlveda, que ainda assim conseguiram voltar à corrida. Simon Pellaud viria pouco depois a descolar dos fugitivos, fazendo depois uma parte larga da corrida na frente isolado enquanto João Almeida, escudado pela sua equipa, se mantinha no pelotão a reduzir distâncias, tendo voltado a brilhar num sprint com Caicedo que ainda deu mais uns pozinhos de avanço dentro dos pozinhos existentes. A pouco mais de 20 quilómetros do final, Pellaud foi anulado e todo o pelotão passou a rodar junto.

A camisola rosa estava assegurada pelo português, igualando o feito de Acácio da Silva que também teve, em 1989, a liderança do Giro durante dois dias. Segue-se a ligação entre Mileto e Camigliatello Silano, a terceira mais longa da competição (225 quilómetros) com alguma montanha pelo meio. E a partir daí as hipóteses de chegar de rosa ao dia de descanso, na próxima segunda-feira, começa a ganhar uma outra forma.