O Governo anunciou, no mês passado, “mais 4.500 camas” para estudantes universitários em hotéis, pousadas da juventude e unidades de alojamento local. No entanto, segundo o Jornal de Notícias, nenhum aluno recorreu a esta oferta, pelo menos nas pousadas. A Movijovem, entidade gestora das Pousadas da Juventude, diz que vai disponibilizar “até 500 camas” em 17 pousadas, mas até ao momento não tem qualquer quarto ocupado.

Governo anuncia “mais 4.500 camas” para estudantes universitários

Quando anunciou o aumento do número de camas para os estudantes, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) falou também numa descida dos preços por quartos e o mesmo afirma o Observatório do Alojamento Estudantil, plataforma que identifica diariamente a oferta privada para estudantes, ao JN. Mas as associações de estudantes dizem o contrário.

O presidente da Federação Académica do Porto, Marcos Teixeira, diz que não houve uma descida significativa dos preços, enquanto o responsável pela Associação Académica do Minho, Rui Oliveira, refere que os preços “continuam a subir”. A presidente da Federação Académica de Lisboa, Sofia Escária, admite que “os preços estão mais controlados”, mas continuam a rondar os 400 e 500 euros.

Novo presidente do Tribunal de Contas é referido em inquérito das PPP