A Casa da Arquitetura, em Matosinhos, assinala o seu terceiro aniversário com entradas gratuitas, de 17 a 22 de novembro, transmissão ‘online’ de diferentes iniciativas, e oferta de ‘kits’ de atividades para crianças, disse esta sexta-feira à Lusa o diretor-executivo.

Tendo em conta o atual estado de emergência, a Casa da Arquitetura decidiu abrir as portas não apenas um fim de semana, como aconteceu nos anos anteriores, mas uma semana com horários alargados e diferenciados, para evitar a aglomeração de pessoas, disse Nuno Sampaio.

Assim, de 17 a 20 de novembro, este espaço poderá ser visitado até às 20:00 e, no fim de semana de dias 21 e 22, até às 12:30, adiantou.

Além da vertente presencial, este aniversário terá a transmissão ‘online’ de várias iniciativas para diferentes públicos no Facebook e Youtube, adiantou.

Uma dessas será uma conversa, na próxima sexta-feira, pelas 21:00, entre o arquiteto Eduardo Souto de Moura, o investigador Sobrinho Simões e o jurista Artur Santos Silva, para debater o tema “Da Existência”.

Este encontro, integrado no Programa Paralelo da Exposição “Souto de Moura — Memória, Projectos, Obras”, terá tradução simultânea em língua gestual portuguesa, referiu.

Em permanência nas redes sociais estará também um conjunto de pequenos filmes sobre algumas obras patentes na exposição “Souto de Moura — Memória, Projectos, Obras”, orientadas pelo cocurador Nuno Graça Moura.

Nuno Sampaio revelou que os mais novos também poderão participar, através da internet, na oficina para crianças e famílias “Arquistruturas”.

Para isso, basta passarem pelo espaço e levarem para casa um ‘kit’ da oficina ‘take-away’ “Paredes Elásticas” para crianças dos três aos 12 anos, totalmente gratuito, explicou.

“Isto permite que as pessoas estejam em casa a fazerem atividades em família, sendo uma forma de levar a arquitetura e a cultura aos cidadãos”, sublinhou.

Falando num programa configurado e ajustado ao contexto atual da pandemia de covid-19, o diretor-executivo salientou que esta é uma forma de pôr a cultura disponível à sociedade como forma de aliviar a sua tensão.

“A cultura é quem nos tem válido também para ultrapassar esta fase, nomeadamente a visualização de filmes, visita de exposições ou leitura de livros”, frisou.

Apesar deste momento, a Casa da Arquitetura ampliou o número de visitantes, mesmo com o espaço fechado, graças ao serviço digital, avançou Nuno Sampaio.

Portugal contabiliza pelo menos 3.250 mortos associados à covid-19 em 204.664 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).