O primeiro-ministro da Estónia, Jüri Ratas, anunciou esta quarta-feira a sua renúncia, após a descoberta de um alegado escândalo de corrupção envolvendo o seu partido.

Jüri Ratas, primeiro-ministro desde dezembro de 2016, assegurou em entrevista à comunicação social que com esta medida pretende assumir a “responsabilidade política” pelo ocorrido e permitir que se apurem adequadamente as acusações contra o seu partido, Partido do Centro.

A justiça da Estónia está a investigar um alegado auxílio financeiro estatal a um projeto imobiliário no qual o seu partido está envolvido. Na terça-feira, quatro pessoas relacionadas com o caso foram detidas.