Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O maior grupo sul-coreano e um dos maiores do mundo, o Hyundai Motor Group, que comercializa veículos sob as marcas Hyundai, Kia e mais recentemente Ioniq, vai cessar todo o desenvolvimento de motores a gasóleo. O anúncio, que está em linha com o que outros fabricantes já se comprometeram ou prometem fazê-lo em breve, não deixou de causar surpresa na Coreia do Sul, onde foi revelado pelo Korea JoongAng Daily.

É claro que as unidades actuais continuarão em produção mas, ao ritmo que as normas antipoluição “apertam”, não vai ser fácil manter alguns dos actuais motores diesel a emitir de acordo com as normas cada vez mais restritivas, especialmente nos mercados da União Europeia. Em causa estarão os motores R, para os modelos de maiores dimensões, e os V, destinados aos veículos mais pequenos e ligeiros.

Curioso é o argumento avançado para justificar que as unidades a gasolina não sigam o mesmo destino dos motores diesel, o que tem a ver, sempre segundo a imprensa sul-coreana, com a necessidade de motores principais para associar aos eléctricos das versões híbridas e híbridas plug-in.

A aposta do grupo a médio e longo prazo será os veículos eléctricos, uma vez que os sul-coreanos pretendem tornar-se uma das referências nesta tecnologia, apontando a 10% da produção total do mercado EV em 2040. Mas não necessariamente apenas à custa dos eléctricos a bateria, uma vez que o Hyundai Motor Group figura entre os mais experientes nas células de combustível a hidrogénio, que permitem produzir energia a bordo, evitando as paragens demoradas para as cargas ligadas à rede eléctrica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR