O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) criou o primeiro observatório de startups portuguesas para conseguir identificar quais são os fatores de sucesso e insucesso destas empresas. O objetivo é que esta análise lhes permita propor soluções inovadoras e criar parcerias com outras organizações nacionais e internacionais. O observatório conta também com uma parceria com a Diário de Bordo, uma editora especializada em tecnologia e segurança.

“Vamos criar um registo central de todas as startups portuguesas, que será pioneiro no país”, afirma em comunicado Mário Velindro, presidente do ISEC. “Ao registá-las iremos conhecê-las e entender a sua evolução na concretização dos seus projetos. Identificaremos os fatores de sucesso e insucesso de cada uma das startups e, com o conhecimento que temos do tecido empresarial, iremos propor-lhes parcerias com as empresas nacionais e internacionais mais adequadas”, acrescenta.

O novo Observatório das Startups Portuguesas vai começar por examinar empresas das áreas tecnológicas, estudando como funcionam, para que possam propor-lhes inovações ou parcerias que potenciem o sucesso empresarial. O protocolo vai entrar em vigor esta semana.

A Diário de Bordo convidou o ISEC para firmar o protocolo que formaliza a criação do observatório “pela sua centralidade académica, pela sua estreita ligação às empresas, e, sobretudo, pela reputação da forte componente prática do seu ensino e da sua investigação”, afirma Paulo Noguês, diretor-geral da editora.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Esta parceria irá criar oportunidades de emprego para estudantes do ISEC, os quais terão a possibilidade de integrarem projetos das startups ligadas à engenharia”, esclarece Mário Velindro. “Temos tido acesso a alguns projetos muito promissores de startups especializadas em engenharia aeronáutica e segurança”, acrescenta o presidente do ISEC, que exemplifica com um plano para a criação de pórticos inteligentes nas entradas dos aeroportos.

O acordo contempla também um conjunto de iniciativas para estimular o debate em torno de questões como a segurança nas atividades económicas, além de apoiar os projetos com mais potencial, que serão selecionados
entre as startups de cariz mais tecnológico e inovador. Essas iniciativas, nomeadamente seminários e conferências, vão ser realizadas no ISEC em Coimbra.