A Polícia Judiciária (PJ) deteve “uma mulher fortemente indiciada pela prática de crimes de abuso sexual da filha e pornografia de menores”, informou esta terça-feira aquela força policial.

Segundo um comunicado da PJ, os crimes terão ocorrido nos anos de 2017 e 2018, com utilização de plataformas informáticas.

A PJ, através da Diretoria do Norte, acrescenta que a investigação “teve início numa sinalização por entidades internacionais relativas a uploads de conteúdos envolvendo pornografia de menores em plataformas informáticas” e que os “registos informáticos foram efetuados a partir de endereços de email e acessos registados no nosso país e que mais tarde se veio a apurar terem sido da responsabilidade da agora detida”.

Na sequência de diligências de obtenção de prova recentemente realizadas, no âmbito de um processo titulado pelo Ministério Público/DIAP de Penafiel, no distrito do Porto, foi possível detetar na posse da arguida centenas imagens e vídeos da própria filha “em poses erotizadas, que integram o conceito de pornografia envolvendo menores, assumindo que estas lhe proporcionavam prazer sexual”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com a PJ, “a criança sentia grande vergonha e sofrimento ao ser submetida àqueles abusos, que se iniciaram quando apenas tinha 9 anos de idade e que chegaram a ser partilhados com terceiros”.

A detida, de 29 anos de idade, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.