Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Google juntou-se ao Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e à Associação Portuguesa de Desenvolvimento das Comunicações (APDC) para oferecer três mil cursos online com certificados profissionais. Além de querer capacitar quem está desempregado com competências digitais, o objetivo destes cursos é que 50% dos certificados sejam atribuídos a mulheres e a pessoas que não residam nem em Lisboa nem no Porto.

Cada curso vai ter a duração de “cerca de 120 horas” e vão ser ministrados através da plataforma online Coursera. Ao todo, há quatro áreas de ensino: “Apoio Técnico de TI”; “Gestão de Projetos”; “Análise de Dados”; e “Design da Experiência do Utilizador”. A APDC e o IEFP vão ficar a cargo da seleção dos candidatos. “Aos candidatos não é exigida nenhuma formação ou experiência prévia”, e o acesso ao programa de bolsas poderá ser feito através dos parceiros da Google, que farão a divulgação prévia”, adianta a Google.

O primeiro curso, de “Apoio Técnico de TI”, vai ser lecionado em português. Os restantes são em inglês. A APDC espera que quem for selecionado despenda entre “oito a dez horas por semana” para concluir estes cursos, demorando “à volta de oito meses” a concluir os quatro módulos. A página oficial para inscrição ainda não foi divulgada.

Quanto a esta nova oferta para quem está no desemprego, Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, diz que o digital “é um instrumento poderoso e de inclusão”. A governante participou esta segunda-feira na apresentação sobre a iniciativa feita a jornalistas por videoconferência.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nesta sessão, na qual esteve presente o líder da Google em Portugal, Bernardo Correia, e os responsáveis do IEFP e da APDC, foi também anunciado que a Fundação da Juventude, com o suporte da INCO e o apoio do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, vai distribuir mais 200 certificados iguais, além dos três mil anunciados, “a pessoas em situação de exclusão e vulnerabilidade”.

Segundo a Google, estes cursos ministrados através da plataforma Coursera têm criado resultados bastante positivos à carreira dos participantes. “De acordo com dados do Coursera, 82% dos alunos que obtiveram este certificado nos Estados Unidos confirmaram que tiveram um impacto positivo na carreira: desde encontrar um novo emprego, obter uma melhoria salarial ou mesmo abrir um novo negócio”, refere a Google.

Segundo a mesma empresa, que menciona dados da consultura McKinsey, estima-se “que 25% mais pessoas na Europa podem precisar de fazer a transição para novos empregos após a pandemia”. Por isso, e sem nenhum custo para o Estado, segundo a Google, a empresa de tecnologia norte-americana tem promovido este tipo de iniciativas num espírito filantrópico, referiu Bernardo Correia.

Google e Governo lançam programa para incentivar competências digitais e o emprego

Desde 2016, a Google formou mais de 100 mil portugueses em competências digitais através de iniciativas com o Atelier Digital, um dos programas do projeto “Grow with Google”. Em setembro de 2020, a empresa assinou um memorando de entendimento com o Ministério da Economia e Transição Digital com o objetivo de apoiar a transição digital e a recuperação económica do país, no qual também se enquadram estes novos cursos do IEFP.