*Em atualização.

Uma pequena parte do planeta — Portugal incluído — está na penumbra da Lua esta quinta-feira, ocultando parcialmente a vista para o Sol. O eclipse, no entanto, é pouco percetível na maior parte do território português, com exceção dos Açores, onde a Lua vai tapar quase um terço do Sol. Pode seguir este eclipse através do vídeo em direto no topo deste artigo da agência espacial dos Estados Unidos, a NASA.

A Lua está a colocar-se entre o Sol e a Terra e descrever “uma trajetória do nordeste da América do Norte ao nordeste da Ásia, atravessando a Gronelândia e oceano Ártico”. Assim, o eclipse só será visível do nordeste da América do Norte, à Europa e norte da Ásia. Mas no Polo Norte, onde o tamanho aparente da Lua não é suficiente para cobrir a totalidade do Sol, a estrela vai formar o que parece ser um anel luminoso em torno do satélite natural — é um eclipse anular (ou anelar) do Sol, como explicou Ricardo Cardoso Reis, do Instituto de Astrofísica, ao Sul Informação.

Na maioria do território nacional, o eclipse parcial será pouco percetível pois as percentagens de área solar coberta são muito baixas, variando entre 4% e 10% no continente e sendo de 30% nos Açores e de 6% na Madeira”, lê-se no site do Observatório Astronómico da Universidade de Lisboa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Se mesmo assim quiser tentar aqui ficam alguns conselhos básicos:

  • O evento será mais longo a Norte do que a Sul. No Porto, começa às 9h48 e termina às 11h33 (pode ver os horários de Coimbra, Lisboa, Faro e ilhas aqui) e 10% da área do sol ficará coberta;
  • Nas regiões autónomas, o Corvo permitirá a melhor observação, das 8h23 às 10h23 (hora local), com 30,8% da área solar coberta;
  • Nunca olhar diretamente para o Sol;
  • Não usar óculos de sol, fotos negras, vidros negros, radiografias ou vidro de soldador para observar o Sol;
  • Mesmo com filtros solares apropriados para proteção dos olhos, a observação do Sol deve ser feita por curtos períodos;
  • O ideal é usar um método de projeção da imagem solar num alvo ou fazer a observação com um telescópio devidamente equipado.