Obrigado por ser nosso assinante. Usufrua de leitura ilimitada deste e de todos os artigos do Observador.

O antigo Presidente dos Estados Unidos processou a sobrinha e o New York Times devido a um artigo de 2018, onde é alegado que Trump estaria envolvido em “esquemas de evasão fiscal”, na última terça-feira, de acordo com a BBC.

No processo, apresentado em Nova Iorque, Trump acusa a sobrinha, Mary Trump, e os jornalistas do New York Times de estarem envolvidos numa conspiração para obter documentos confidenciais. De acordo com o documento, Mary  terá quebrado um acordo judicial, que a proíbe de divulgar documentos oficiais: divulgou, no seu livro, ter partilhado, com o New York Times, documentos fiscais que foram utilizados na notícia sobre a evasão fiscal de Donald Trump.

Um grupo de jornalistas do New York Times, envolvidos numa cruzada para obter documentos fiscais confidenciais de Donald Trump, procuraram, incessantemente, a sua sobrinha Mary… e convenceram-na a retirar os registos do escritório do seu advogado.”, está escrito no processo citado pela BBC.

Trump alega que sofreu danos significativos, na sequência da notícia, pelo que pede indemnização de 100 milhões de dólares (cerca de 85 milhões de euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Uma das jornalistas envolvidas no processo, Susanne Craig, usou a sua página no Twitter para responder às alegações: “Eu bati à porta da Mary Trump. Ela abriu a porta. Acho que isto é chamado de jornalismo.”

Danielle Rhoades Ha, porta-voz do New York Times, defendeu que a cobertura, por parte do jornal, dos assuntos fiscais de Trump “ajudou a informar os cidadãos, através de uma investigação meticulosa sobre um assunto de inegável interesse público”, e que o processo é “uma tentativa de silenciar organizações jornalísticas independentes”.

Mary Trump não reagiu, até ao momento, ao processo movido pelo tio.