805kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Sérgio e uma equipa que não sai do estado permanente de alerta vermelho (a crónica do FC Porto-Famalicão)

FC Porto esteve a perder até aos 82', não conseguiu mais que um empate com o Famalicão e teve mais um jogador expulso. Dragões somam 3.ª jornada sem ganhar e podem ser igualados pelo Sp. Braga (2-2).

Francisco Conceição esteve no lance do primeiro golo dos dragões
i

Francisco Conceição esteve no lance do primeiro golo dos dragões

Getty Images

Francisco Conceição esteve no lance do primeiro golo dos dragões

Getty Images

Até aos últimos dias, era preciso recuar oito anos, até 2016, para encontrar duas derrotas consecutivas do FC Porto para o Campeonato: foi com José Peseiro, que tinha substituído Julen Lopetegui, e aconteceu numa temporada em que os dragões ficaram a 15 pontos do primeiro lugar. Nos últimos dias, sem que muito o fizesse prever, Sérgio Conceição juntou-se à lista e sofreu as novas duas derrotas consecutivas do FC Porto para o Campeonato. 

No espaço de semanas, os dragões foram eliminados da Liga dos Campeões pelo Arsenal, perderam com o Estoril e voltaram a perder com o V. Guimarães, saindo oficialmente da corrida pela conquista do Campeonato e tendo agora como principal objetivo a defesa do terceiro lugar, ameaçado pelo Sp. Braga e pelo mesmo V. Guimarães. Têm sido dias de muita instabilidade no universo do FC Porto, pela proximidade das eleições mais imprevisíveis dos últimos 40 anos, o mau momento desportivo e as reações intempestivas dos jogadores em campo, e Sérgio Conceição não escondia a preocupação.

Ficha de jogo

Mostrar Esconder

FC Porto-Famalicão, 2-2

29.ª jornada da Primeira Liga

Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Gustavo Correia (AF Porto)

FC Porto: Diogo Costa, Jorge Sánchez (Taremi, 45′), Zé Pedro, Otávio, Wendell (Danny Namaso, 82′), Grujic (Alan Varela, 45′), Nico González (Stephen Eustáquio, 87′), Francisco Conceição, Pepê, Iván Jaime (Galeno, 45′), Evanilson

Suplentes não utilizados: Cláudio Ramos, João Mendes, Gonçalo Borges, Gabriel Brás

Treinador: Sérgio Conceição

Famalicão: Luiz Júnior, Nathan Santos, Enea Mihaj, Justin de Haas, Francisco Moura, Topić, Zaydou Youssouf (Gustavo Assunção, 87′), Gustavo Sá (Filipe Soares, 65′), Sorriso, Puma Rodríguez (Alex Dobre, 75′), Jhonder Cádiz (Óscar Aranda, 87′)

Suplentes não utilizados: Zlobin, Martín Aguirregabiria, Tom Lacoux, Henrique Araújo, Florian Danho

Treinador: Armando Evangelista

Golos: Jhonder Cádiz (9′, 45+1′), Zaydou Youssouf (ag, 17′), Taremi (82′)

Ação disciplinar: cartão amarelo a Otávio (43′), a Wendell (60′), a Zaydou Youssouf (68′), a Jhonder Cádiz (83′), a Alan Varela (83′), a Enea Mihaj (90+4′), a Galeno; cartão vermelho direto a Evanilson (90+4′)

“Os jogadores deviam fechar os olhos a algumas coisas, mas circulam algumas notícias e é difícil manterem a calma e o foco porque isto não nos leva a nada, só nos prejudica. Não é nervos, isso gosto, mas entrar em irritação com o que não podemos controlar só nos prejudica. Não é fácil. Há duas formas de ver isto: o Pepe descontrolou-se, mas não vai haver outro Pepe durante muitos anos, com tanta qualidade, que seja tão competitivo. Mas a irritação não é boa, não é positiva, porque precisamos de ter os jogadores ligados, mas com frescura mental”, disse o treinador dos dragões na antevisão da receção deste sábado ao Famalicão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ora, sem Pepe e João Mário, ambos castigados, e também sem Fábio Cardoso, que está lesionado, Sérgio Conceição lançava Zé Pedro ao lado de Otávio no eixo defensivo e surpreendia com a titularidade de Grujic e Iván Jaime, deixando Alan Varela e Galeno no banco. Do outro lado, num Famalicão que levava duas vitórias em dois jogos com Armando Evangelista, Sorriso e Justin de Haas eram as principais novidades face aos castigos de Riccieli e Chiquinho.

O jogo começou com pouca intensidade, ficando claro que as duas equipas queriam estudar-se mutuamente sem correr muitos riscos, mas não foi preciso esperar muito para perceber que o Famalicão pretendia disputar o resultado com o FC Porto. Já depois de Cádiz falhar um remate acrobático na área (2′), o mesmo Cádiz abriu o marcador ainda dentro dos 10 minutos iniciais: o avançado venezuelano começou a jogada a abrir da esquerda para a direita, Puma tirou um cruzamento perfeito e este surgiu entre os centrais a cabecear para bater Diogo Costa (9′).

O FC Porto reagiu à desvantagem de forma mais empírica do que prática: ou seja, não criava verdadeiras oportunidades de golo nem se aproximava de forma perigosa da baliza de Luiz Júnior, mas tinha mais bola e era muito eficaz na pressão alta que aplicava e que neutralizava o adversário. Já depois do quarto de hora, os dragões acabaram mesmo por conseguir empatar. Evanilson lutou até ao fim e ganhou uma bola junto à linha de fundo, Francisco Conceição soltou-se e procurou cruzar e Zaydou, com um desvio infeliz, colocou na própria baliza (17′).

A primeira parte foi de verdadeiro equilíbrio a partir daí. Ainda que o FC Porto mantivesse algum ascendente, principalmente porque tinha mais bola e estava mais tempo no meio-campo contrário, a verdade é que era o Famalicão a criar os lances mais perigosos e a protagonizar desequilíbrios no último terço. Sorriso ficou perto de marcar com um cabeceamento por cima (26′), tal como Gustavo Sá também assustou Diogo Costa com um remate que passou ao lado (40′), e os dragões só responderam com um pontapé de Francisco Conceição que Luiz Júnior encaixou sem dificuldades (34′).

Até que, nos descontos e quanto ambas as equipas já pensavam no intervalo, o Dragão voltou a gelar. Gustavo Sá mostrou-se na direita, cruzou rasteiro e tenso para a área e viu Sorriso falhar o desvio ao primeiro poste para Cádiz aparecer ao segundo, completamente sozinho, a encostar para a baliza deserta e para bisar (45+1′). No fim da primeira parte, o FC Porto estava a perder com o Famalicão em casa e voltava a colocar-se numa posição em que teria de correr atrás do prejuízo.

[Carregue nas imagens para ver alguns dos melhores momentos do FC Porto-Famalicão:]

Sérgio Conceição mexeu logo ao intervalo e fez três substituições de uma vez, lançando Taremi, Galeno e Alan Varela, com o avançado iraniano a juntar-se a Evanilson no ataque, e recuando Pepê para a direita da defesa. A dinâmica do jogo mostrava-se algo distinta, com o FC Porto a procurar o empate e a demonstrar outra intensidade na hora de atacar — principalmente através da entrada de Galeno, que acelerava tudo a partir da esquerda –, e o Famalicão não tinha grandes pruridos na hora de deixar claro que iria defender o resultado e abdicar de esticar tanto a equipa.

Evanilson acertou na baliza ainda antes da hora de jogo, com o lance a ser imediatamente anulado por falta sobre Luiz Júnior (55′), e Armando Evangelista foi forçado a realizar a primeira substituições devido aos problemas físicos de Gustavo Sá, que deu lugar a Filipe Soares. O Famalicão ia descendo cada vez mais as linhas, entrando numa espécie de modo-sacrifício para responder às investidas do FC Porto que até incluiu o recuo de Topić para o setor defensivo, e Nico teve na cabeça o empate num lance em que cabeceou sozinho na área e diretamente para as mãos do guarda-redes (67′).

As oportunidades dos dragões acumulavam-se nesta fase, com Luiz Júnior a evitar o golo de Evanilson com uma enorme defesa (72′) para depois ver Taremi cabecear por cima na sequência de um canto (72′) e atirar ao lado (75′), mas foi nessa fase que o Famalicão poderia ter feito xeque-mate com um pontapé de Puma que Diogo Costa defendeu (74′). Armando Evangelista voltou a mexer, trocando o mesmo Puma por Alex Dobre, e os minutos iam passando sem que o FC Porto conseguisse sequer reverter a desvantagem.

Sérgio Conceição fez all in já dentro dos últimos 10 minutos, trocando Wendell por Danny Namaso e colocando Galeno na esquerda, e os dragões acabaram mesmo por conseguir chegar ao empate. Galeno arrancou no corredor e cruzou rasteiro para o coração da grande área, onde Taremi apareceu sozinho a rematar de primeira para bater Luiz Júnior e voltar aos golos depois de um jejum que durava desde dezembro (82′).

Os dois treinadores fizeram as últimas substituições nos derradeiros cinco minutos, com Sérgio Conceição a lançar Stephen Eustáquio e Armando Evangelista a colocar Gustavo Assunção e Óscar Aranda, mas já nada mudou — e Evanilson ainda foi expulso com cartão vermelho direto por agressão a Mihaj, falhando a segunda mão da meia-final da Taça de Portugal contra o V. Guimarães.

No fim, o FC Porto não foi além de um empate com o Famalicão no Dragão e somou a terceira jornada consecutiva sem ganhar, correndo o risco de ser igualado pelo Sp. Braga no terceiro lugar se os minhotos vencerem o Estoril ainda este sábado. Com mais uma expulsão à mistura e na antecâmara da crucial decisão na meia-final da Taça de Portugal, os dragões escaparam à derrota mas mostraram que não conseguem sair do estado atual de alerta vermelho.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€ Apoiar

MELHOR PREÇO DO ANO

Ao doar poderá ter acesso a uma lista exclusiva de benefícios

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO