Índice

    Índice

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Schroederization”. Não é um palavrão mas parece. Na realidade, é todo um conceito que na Alemanha significa a corrupção da elite política por direta inspiração do ex-chanceler Gerhard Schröder e das suas ligações diretas a Vladimir Putin e às poderosas empresas energética russas Rosneft e Gazprom.

Tanto que, além da enorme pressão da opinião pública alemã que levou o atual chanceler Olaf Scholz a afirmar esta quinta-feira que Schröder deve “desistir dos cargos que ocupa” na empresa que gere o gasoduto Nordstream e na Rosneft (e que não venha a ocupar um futuro cargo já prometido na Gazprom), há quem defenda que o ex-chanceler deve ser alvo de sanções económicas pelas suas ligações diretas a Putin. O que, a acontecer, poderia levar ao congelamento de todo o seu património.

Ligações à Rússia expulsam ex-chanceler Gerhard Schröder do Borussia Dortmund

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.