Web Summit

Há duas startups portuguesas na competição principal da Web Summit

529

Cuckuu e B-Guest vão pisar o mesmo palco que Jaime Jorge, da Codacy, pisou em 2014 e apresentar o seu negócio a cerca de 30 mil pessoas na Web Summit. Há mais um Óscar da tecnologia a caminho do país?

Em 2016, 2017 e 2018, a Web Summit vai decorrer em Lisboa

Getty Images

Na Web Summit de 2014, Jaime Jorge, da Codacy, pôs Portugal no mapa mental de Paddy Cosgrave, fundador do evento. Até o jovem português ter vencido os “Óscares das startups da Europa”, Cosgrave pouco sabia sobre o ecossistema empreendedor português, contou ao Observador. Na edição de 2015, entre as 100 finalistas para o Beta Award, há mais duas startups portuguesas que vão tentar a sua sorte, a Cuckuu e a B-Guest. Na fase de pré-seleção, estavam a concurso 1700 startups de todo o mundo.

A Web Summit é o maior evento de tecnologia e empreendedorismo da Europa e o Beta Award é o concurso de pitch (apresentação curta da empresa) para startups até três milhões de euros de investimento. É a principal competição da conferência, onde os empreendedores podem apresentar os seus negócios a representantes das maiores empresas tecnológicas do mundo, bem como a investidores de capital de risco de topo.

Isto para nós não é só uma oportunidade, mas é um reconhecimento. Ter uma startup dá muito trabalho, às vezes as coisas não correm bem e estas distinções também ajudam a manter o otimismo. No meio de startups do mundo todo, sermos uma das 100 selecionadas…”, conta João Jesus, fundador do Cuckuu, ao Observador.

O Cuckuu é uma rede social à base de alarmes onde é possível partilhar fotografias, vídeos ou iniciar conversas em chat para acordar outras pessoas, por exemplo. Ou para alertar para um evento a determinada hora. Imagine que vai organizar uma festa para o próximo sábado às 23h00 e às 21h00 quer lembrar toda a gente que tem duas horas para se prepararem. Marca o evento na app, convida os amigos e, à hora selecionada, faz soar um alarme com um vídeo, uma imagem ou uma música nos smartphones de todos os que aderiram ao evento.

A B-Guest, por sua vez, é uma plataforma que liga hotéis a hóspedes, durante as suas estadias. Para os primeiros, é uma ferramenta de marketing que recolhe informação detalhada sobre o que cada hóspede faz durante a estadia, permitindo que sejam oferecidos serviços de acordo com a sua preferência. Para os últimos, permite evitar filas de checkin, checkout, pedir um serviço de quarto, reservar mesa no restaurante ou marcar uma sessão no spa.

Termos sido selecionados para a Alpha Class e para o Pitch do Web Summit 2015, o maior evento mundial de startups, é muito importante para nós. Concorreram milhares de startups a nível global e nós estamos no lote final, o que significa que a organização reconhece o interesse e potencial do B-Guest. Além disso, vamos ter oportunidade de estar em contato com investidores de referência a nível mundial, bem como beneficiar do ‘buzz’ dos media que vão estar presentes no evento”, disse José Marques, fundador do B-Guest, ao Observador.

João Jesus acrescenta que não está nervoso com o facto de ter de apresentar a sua startup para uma plateia de cerca de 30 mil pessoas. Em Dublin, quer contar a história do Cuckuu. “Com a nossa app não queremos resolver um problema, queremos motivar as pessoas, dar algo extra ao seu dia, para que se divirtam mais. Vamos mostrar a visão que temos para o Cuckuu”, referiu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site