Escócia

Escócia. “Altamente provável” novo referendo sobre independência

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, diz que é "altamente provável" que se realize novo referendo sobre a independência. Será "inaceitável" um bloqueio do governo de Londres.

JANE BARLOW/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, afirmou este domingo que é “altamente provável” que se realize um novo referendo sobre a independência, depois de o Reino Unido ter decidido abandonar a União Europeia. E avisou o primeiro-ministro britânico, atual ou futuro, que será inaceitável um bloqueio a esta iniciativa.

“O Reino Unido, pelo qual a Escócia votou para permanecer em 2014, já não existe”, afirmou a primeira-ministra escocesa à estação britânica BBC, garantido que tudo fará “para proteger os interesses dos escoceses”.

Contrariamente aos ingleses, os escoceses votaram, maioritariamente, pela permanência na União Europeia e, segundo sondagens hoje publicadas, estes irão votar pela independência da Escócia casa haja um novo referendo.

A líder do governo escocês deixou ainda um aviso ao sucessor de David Cameron. Um veto à realização de um novo referendo será “inaceitável”. Em declarações à televisão ITV, Sturgeon frisou que se o Parlamento da Escócia votar a favor de um segundo referendo sobre a independência, com o argumento de que é a melhor forma de “proteger os nossos interesses, será inconcebível que um governo de Westminster, que provocou esta situação, venha a bloquear a iniciativa. Aconselho seriamente qualquer primeiro-ministro, atual ou futuro, a não fazer isso”.

De acordo com uma sondagem divulgada este domingo, mais de metade (52%) dos escoceses querem agora a independência, depois de o Reino Unido ter decidido deixar a União Europeia (‘Brexit’).

A sondagem da Panelbase para o Sunday Times conclui que 52% dos inquiridos defendem a independência da Escócia do Reino Unido, enquanto 48% estão contra.

A Escócia rejeitou a independência num referendo realizado em 2014, mas a primeira-ministra Nicola Sturgeon admitiu já que uma segunda ida às urnas é “altamente provável”, para a evitar que os escoceses sejam forçados a sair da União Europeia contra a sua vontade.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido vai sair da União Europeia, depois de o ‘Brexit’ ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira. No entanto, 62% dos eleitores da Escócia votaram a favor do ‘remain’, ou seja, da permanência na União.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site