Futebol

Benfica, Sporting e FC Porto uniram esforços em 2015/16 para que adeptos perdessem peso

Benfica, FC Porto e Sporting participaram, na época 2015/16, num estudo europeu que visa o futebol como ferramenta de promoção de estilos de vida mais ativos em homens dos 30 aos 65 anos.

O estudo reuniu 15 clubes de quatro países: Holanda, Portugal, Inglaterra e Noruega

Antonio Cotrim/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Benfica, FC Porto e Sporting participaram, na época 2015/16, num estudo europeu que visa o futebol como ferramenta de promoção de estilos de vida mais ativos em homens dos 30 aos 65 anos.

Financiado pela União Europeia (UE), o consórcio EuroFIT promoveu o estudo coordenado pela professora Sally Wyke, da Universidade de Glasgow, e que foi na quarta-feira revelado no Congresso Europeu da Obesidade, que decorre até sábado no Porto.

Coordenado em Portugal pela professora da Faculdade de Motricidade Humana Marlene Silva, o estudo reuniu 15 clubes de quatro países: Manchester City, Arsenal, Everton, Stoke City e Newcastle United (Inglaterra), Benfica, Sporting e FC Porto (Portugal), PSV Eindhoven, FC Groningen, Vitesse e Ado Den Hag (Holanda) e Stromsgodset, Valerenga e Rosenborg (Noruega).

Em Portugal, Nuno Gomes e Nené desempenharam o papel de embaixadores da EuroFIT no Benfica, enquanto Augusto Inácio fez o mesmo no Sporting e Semedo no FC Porto, tendo participado em pelo menos duas sessões.

Marlene Silva disse à agência Lusa que o estudo vai decorrer entre 2015 e 2018 e, na sua fase dois, em que intervieram os adeptos dos clubes, “estes foram seguidos durante mais de um ano, terminando essa investigação em fevereiro de 2017”.

Cada clube dispôs de 80 vagas, tendo sido os adeptos “avaliados antes, no meio, no final e um ano após” o início das 12 semanas de programação. Os intervenientes, segundo a investigadora, fizeram “diários alimentares, análises ao sangue, viram avaliados os seus indicadores cardiometabólicos, preencheram questionários de bem-estar psicossocial e foram avaliados na sua atividade física”. Nesse período, os adeptos envolvidos, “usaram um acelerómetro que registou toda a atividade física feita”, disse.

Os resultados ainda não estão disponíveis e deverão “ser conhecidos até ao próximo Verão”, sendo que a taxa de adesão “foi acima de 90%”, disse Marlene Silva, sobre um projeto que, na fase seguinte, pretende alargar-se a outros clubes nos mesmos quatro países.

O objetivo da fase seguinte é ter, na época 2017/18, um programa-piloto em clubes que não receberão apoio financeiro, decorrendo atualmente o processo de seleção [dois por país]”, acrescentou.

No horizonte dos investigadores, naquela que será a fase derradeira do projeto, “está a disseminação total do programa e que conta para o efeito com um protocolo assinado em abril com a Federação Portuguesa de Futebol”.

O desenvolvimento do programa European Fans in Training (EuroFIT) baseou-se em teorias sociológicas e motivacionais (neste caso, a lealdade ao clube de futebol local) para incentivar adeptos masculinos de futebol em quatro países europeus a iniciar e manter melhorias nos comportamentos relacionados com a atividade física, o sedentarismo e a dieta. O projeto é financiado pelo 7.º Programa Quadro da União Europeia para a investigação e desenvolvimento tecnológico.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site